08 de agosto de 2020 Atualizado 20:21

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

100 dias de quarentena

Confira os principais acontecimentos dos 100 dias de quarentena na região

Carreatas, novos decretos e planos econômicos são alguns dos acontecimentos dos últimos 100 dias

Por Natália Velosa

02 jul 2020 às 09:27 • Última atualização 02 jul 2020 às 09:40

Nesta quinta-feira (2), a quarentena do Estado de São Paulo completa 100 dias. Iniciada a fim de conter a proliferação do novo coronavírus (Covid-19), a quarentena ainda não se mostra perto do fim.

O LIBERAL separou os principais acontecimentos dos 100 dias de quarentena na região. No decorrer desses dias, ocorreram manifestações em carreatas para reabertura do comércio, implantação de novos planos para resgatar a economia, entre outros acontecimentos. Confira:

21/03: Governador João Dória decreta quarentena no Estado de São Paulo, que começaria a valer oficialmente no dia 24 de março, e mantém apenas serviços essenciais.

23/03: Americana e Santa Bárbara d’Oeste decretaram calamidade pública. O estágio garante maior rapidez e agilidade nos processos licitatórios para a aquisição de bens e serviços destinados às ações de prevenção e enfrentamento do coronavírus (Covid-19).

23/03: A RPT (Região do Polo Têxtil) dá início a vacinação contra a gripe priorizando idosos e profissionais da saúde. A campanha deste ano foi antecipada pelo Ministério da Saúde por conta da transmissão do novo coronavírus (Covid-19), o que possibilita melhorar o diagnóstico do novo coronavírus na população idosa. Atualmente, a vacina está liberada para toda a população.

24/03: Inicio oficial da quarentena no Estado de São Paulo.

24/03: Americana registra o 1º caso confirmado de coronavírus. O paciente foi o empresário Gustavo Azzolini, de 41 anos, que ficou internado no Hospital Samaritano, na capital paulista, e se recuperou da doença.

25/03: Em meio à corrida por produtos, preços de alguns alimentos dispararam em março. Feijão e leite lideraram a lista, com aumentos de até 65% e 40%, respectivamente. O álcool em gel desapareceu das prateleiras de farmácias e mercados.

26/03: O presidente Jair Bolsonaro incluiu as casas lotéricas e as igrejas na lista de serviços e atividades essenciais que podem funcionar durante a situação de emergência no País em decorrência do novo coronavírus. Apesar do decreto, missas seguem suspensas na região e não alterou as determinações das dioceses de Limeira, Piracicaba e Campinas.

27/03: O prefeito Omar Najar chegou a liberar o funcionamento de salões de beleza em Americana, lojas de suplementos alimentares, e comércios que vendem alimentos mas também outros tipos de produtos. O Estado interveio e desautorizou a abertura desses comércios. A partir de então, todas as prefeituras da região passaram a seguir estritamente o que previa o decreto de quarentena do Governo Estadual.

28/03: Primeira carreata a favor de abertura do comércio é realizada em Americana. Cerca de 60 veículos saíram da Unisal em direção a Prefeitura de Americana, onde ficaram concentrados durante a manhã daquele sábado.

01/04: Senado aprova texto-base do projeto do benefício emergencial e Bolsonaro sanciona auxílio de R$ 600 a informais. A intenção foi garantir uma renda mínima para esses trabalhadores e permitir que eles fiquem em isolamento durante o pico da Covid-19 no País.

03/04: Ônibus deixaram de circular aos domingos em Americana e nos períodos de pico dos outros dias da semana, sendo adotados os horários de domingo. No dia 9, a Prefeitura de Nova Odessa também suspendeu a circulação de ônibus aos domingos.

13/04: Americana tem a segunda carreata pela reabertura do comércio durante a quarentena. O movimento começou na Avenida Antonio Pinto Duarte e percorreu ruas do Centro da cidade.

16/04: Ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta foi demitido pelo presidente Jair Bolsonaro e o oncologista Nelson Teich assume. Teich foi consultor da área de saúde na campanha de Jair Bolsonaro, em 2018, e é fundador do Instituto COI, que realiza pesquisas sobre câncer.

18/04: Terceira carreata em prol da reabertura do comércio em Americana e Santa Bárbara d’Oeste reuniu centenas de pessoas. O ato teve início em frente à loja Havan, em Santa Bárbara, e seguiu até a Avenida da Saudade, em Americana.

29/04: Governador João Doria determina a obrigatoriedade do uso de máscaras de proteção facial no transporte público de passageiros de responsabilidade do Estado de São Paulo.

30/04: Quarta carreata pró-comércio teve início e lotou uma parte da Avenida Antonio Pinto Duarte, em Americana. Os veículos saíram em direção a Rodovia Anhanguera (SP-330) até Campinas.

04/05: Estado de São Paulo determina o uso geral e obrigatório de máscaras de proteção facial em todos os espaços públicos e no interior de estabelecimentos.

15/05: Ministro da Saúde Nelson Teich pediu exoneração do cargo. Ele iria completar um mês à frente da pasta federal no dia seguinte.

28/05: Governador João Doria institui o Plano São Paulo, que consiste em cinco fases de reabertura gradual dos setores da economia, e confirma que a região de Americana poderá reabrir parte do comércio não essencial.

01/06: As cinco cidades da RPT (Região do Polo Têxtil) reabriram as lojas de rua, escritórios e imobiliárias. O dia em Americana foi marcado por longas filas no Calçadão e desrespeito às normas sanitárias.

04/06: Com autorização do governo, o Tivoli Shopping reabriu as portas em Santa Bárbara d’Oeste. O centro de compras ficou 75 dias fechados por conta da quarentena.

05/06: Em função do aumento na demanda por atendimentos e internações, o Hospital Municipal Dr. Waldemar Tebaldi, em Americana, ativou mais 15 leitos para o novo coronavírus e o pronto-socorro exclusivo para pacientes com problemas respiratórios.

09/06: O Estado informou que as cinco cidades da RPT (Região do Polo Têxtil) iriam receber 22 respiradores. Os equipamentos chegaram no final daquela semana. Americana, Santa Bárbara d’Oeste, Sumaré e Hortolândia receberam cinco respiradores cada. Já Nova Odessa terá mais dois equipamentos.

10/06: As internações por conta do novo coronavírus aumentaram em Santa Bárbara d’Oeste e os cinco leitos da UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do Hospital Santa Bárbara estão ocupados. Os 10 leitos SUS do Hospital Santa Bárbara, destinados aos atendimentos de outras doenças, também estão lotados. Diante o cenário, a prefeitura conseguiu alterar o convênio que mantém com o hospital para a implantação de cinco novos leitos, no dia 18 de junho.

23/06: As cinco cidades da região chegaram a marca de 100 mortes pelo novo coronavírus. A primeira morte ocorreu no dia 27 de março, em Americana. Naquele mês, foram duas vítimas fatais. Em abril, esse número subiu para 12, e em maio, para 29.

28/06: O LIBERAL mostrou que moradores de 108 bairros de Americana se infectaram com o coronavírus. Em abril, apenas 32 bairros registravam casos positivos da doença. Em maio, esse número saltou para 54. Hoje, é o dobro.

29/06: O Hospital de Campanha de Santa Bárbara, montado em um prédio cedido pela Unimep (Universidade Metodista de Piracicaba), foi ativado pela prefeitura nesta segunda-feira (29) O município informou que o local recebeu os primeiros pacientes naquela data, mas não informou o número de pessoas que estavam sendo atendidas na unidade, que recebe pacientes com sintomas moderados da doença.

30/06: Região do Polo Têxtil chega aos 2 mil casos confirmados do novo coronavírus. Sumaré lidera a lista de infectados e de mortos pela doença.