12 de junho de 2024 Atualizado 21:27

Notícias em Americana e região

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Em Santa Bárbara

Caso do mercúrio: depois de um ano, família é liberada a voltar para casa

Defesa Civil realizou medição que não constatou mercúrio no local e permitiu retorno de moradores, que estavam em abrigo

Por Pedro Heiderich

14 de agosto de 2021, às 07h45

Após mais de um ano em abrigo por conta de mercúrio, uma família voltou a poder morar em sua casa, na Rua João Lopes Machado Filho, no Santa Fé, em Santa Bárbara d’Oeste. A residência havia sido interditada pela Defesa Civil após contaminação por mercúrio em junho do ano passado.

A Defesa Civil realizou medição nesta semana e permitiu o retorno dos oito moradores da família de Rute Batista Cepelos, 48, que pede ajuda de doações para recomeçar. A reportagem pediu mais detalhes da situação à prefeitura, mas não obteve resposta.

Rute comemorou retorno, mas pede ajuda para poder recomeçar – Foto: Ernesto Rodrigues / O Liberal

A família perdeu móveis e pertences, que tiveram que ser jogados fora para evitar riscos. “Vou pedir ajuda, só até a gente ajeitar tudo, porque não é fácil, temos crianças para alimentar”, conta Rute. “Utensílios de cozinha, roupas, mantimentos, tivemos que jogar fora”.

Depois que foi constatado que se tratava de um caso de contaminação por mercúrio, a família foi transferida para um abrigo do município. “Lá no abrigo tem muita regra, não é igual a nossa casa, contava os dias para voltar. Enfim liberaram, mas é difícil, sem as coisas”, desabafa.

📲 Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

Rute lista que a casa está sem bacia do banheiro, sem pia, retirados para evitar que o mercúrio se propagasse. “O teto mesmo ficou todo estragado, quebraram o chão. Até cresceu uma árvore lá no fundo nesse tempo todo”. A família mora há sete anos no local.

A moradora não quis esperar que a casa fosse equipada. Pegou comida para a janta e foi para o lar. “Tem comida, o resto vou dando um jeito”. Rute lembra da época da contaminação. “Todo mundo ficou doente, passou mal, a gente teve que sair, nem sabia que era por isso ainda”.

CASO
Quem levou o mercúrio para casa foi o pedreiro José Aparecido da Luz dos Santos, de 48 anos, marido de Rute, em 30 de junho de 2020.

Um colega de trabalho que costuma pegar sucata teria colocado uma caixa de papelão com uma garrafa com a substância dentro do carro de José durante serviço realizado em Piracicaba.

Segundo José, seus filhos encontraram a garrafa no veículo, já em Santa Bárbara, e começaram a brincar com o mercúrio. Ele pensou que era tinta. A substância despertou a curiosidade das crianças, pois escorria pela pele e formava bolinhas, e elas compartilharam o material com os amigos da vizinhança.

Ao todo, 34 pessoas tiveram contato com o metal, mas hoje todos passam bem. Depois da constatação, o mercúrio foi neutralizado com enxofre em pó, além do descarte de objetos e móveis contaminados. O mercúrio é um metal e substância tóxica. Sua exposição pode causar problemas de saúde.

Publicidade