30 de novembro de 2020 Atualizado 22:30

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Santa Bárbara

Pedreiro diz que mercúrio foi encontrado em uma caixa de papelão em Piracicaba

Substância levada para casa no Santa Fé, em Santa Bárbara, foi compartilhada entre amigos e há quatro crianças hospitalizadas

Por Rodrigo Alonso / Paula Nacasaki

17 jul 2020 às 08:49 • Última atualização 17 jul 2020 às 08:52

O pedreiro José Aparecido da Luz dos Santos, de 48 anos, que levou mercúrio para sua casa em Santa Bárbara d’Oeste, contou para o LIBERAL que um rapaz que trabalha com ele encontrou uma caixa de papelão em Piracicaba, onde os dois realizavam um serviço. Dentro, havia uma “garrafinha de água” com o metal.

Nesta quinta-feira, a Prefeitura de Santa Bárbara informou que 34 pessoas tiveram contato com o mercúrio. Até a tarde desta quinta-feira, havia quatro crianças hospitalizadas e o estado de saúde delas é estável.

Casa da família foi interditada pela prefeitura e não há prazo para liberação – Foto: Marcelo Rocha / O Liberal

De acordo com o pedreiro, esse rapaz, que costuma pegar sucata, teria colocado a caixa no porta-malas do carro de José. Ainda de acordo com ele, seus filhos encontraram a garrafa no veículo, já em Santa Bárbara, e começaram a brincar com o mercúrio. José disse ter pensado que era tinta.

“Ninguém sabia o que era isso. Se eu soubesse, você acha que eu ia pegar esse negócio e ia levar em casa para os meus meninos pegarem?”, afirma.

A substância despertou a curiosidade das crianças, pois escorria pela pele e formava bolinhas, e elas compartilharam o material com os amigos da vizinhança. A exposição ao metal, no entanto, pode causar problemas de saúde.

“Cada uma dessas crianças ficou com uma certa quantidade num potinho ou garrafa, e brincaram entre si, mostrando para os pais e outros amiguinhos”, diz Rogério Renan Marculino, de 25 anos, enteado de José.

Casa interditada
Por conta da situação, a residência de José, localizada na Rua João Lopes Machado Filho, encontra-se interditada desde a última terça. A maioria dos moradores, então, está instalada em um abrigo disponibilizado pela prefeitura, na Vila Brasil.

Agentes da prefeitura e da Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo) acharam mercúrio em uma boca de lobo e no meio-fio da Rua João Lopes Machado Filho. O produto, de acordo com a Cetesb, foi neutralizado com enxofre em pó.

A situação virou assunto na Polícia Civil, que registrou boletim de ocorrência sobre caso não criminal. Apurações serão feitas pelo 2º DP (Distrito Policial) de Santa Bárbara.

Tratamento
O caso também é acompanhado pelo CIATox (Centro de Informação e Assistência Toxicológica) da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas). Segundo o médico Eduardo Mello de Capitani, que trabalha no órgão e esteve em Santa Bárbara, a retirada do metal leva, em média, 20 dias. Ele aponta que nenhuma das pessoas contaminadas em Santa Bárbara corre risco de morte.

Publicidade