11 de agosto de 2020 Atualizado 18:33

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Santa Bárbara

Homem que levou mercúrio para casa some após incidente e internações

Pelo menos três famílias teriam sido contaminadas depois que um morador levou o metal pesado até a sua casa no bairro Santa Fé, em Santa Bárbara

Por Paula Nacasaki

16 jul 2020 às 08:27 • Última atualização 16 jul 2020 às 09:40

O homem apontado como responsável por ter levado um frasco com mercúrio para sua residência, no Santa Fé, em Santa Bárbara d’Oeste, e que provocou a internação de crianças, está desaparecido desde o incidente.

Em entrevista ao LIBERAL nesta quarta, o enteado Rogério Renan Marculino relatou que seu padrasto está sumido e alegou que ele não sabia dos riscos de contaminação do metal pesado.

Residência onde aconteceu incidente em Santa Bárbara foi interditada pela Defesa Civil da cidade – Foto: Marcelo Rocha / O Liberal

Em sua casa, interditada pela prefeitura, moram oito pessoas. Todas receberam cuidados médicos. No momento da entrevista ele estava no Pronto-Socorro Edison Mano com a irmã de 7 anos, internada para acompanhamento.

Marculino disse que diferente do relatado por vizinhos, que disseram que o homem apareceu com um galão de 3 litros do produto, o padrasto levou uma pequena quantidade de mercúrio para a casa na semana passada, e como as crianças gostaram de brincar, pediram mais.

No dia seguinte ele teria trazido para residência uma garrafa de 500 ml com o produto. A família sabe que o produto foi trazido de uma empresa, porém não sabem qual.

Tanto vizinhos como familiares afirmam que o homem agiu sem conhecer os riscos de contaminação, uma vez que estava movido pela curiosidade. Vídeos de crianças brincando com o metal foram divulgados em uma rede social.

Contaminação
O biomédico doutor em toxicologia pela USP (Universidade de São Paulo), Éric Diego Barioni esclarece que neste caso o mercúrio está em sua forma metálica elementar, sendo assim pode irritar o sistema respiratório e favorecer o acúmulo de toxicidade. Ele pode, entre outros malefícios, causar câncer, dependendo da exposição.

Vídeos foram divulgados na internet – Foto: Reprodução

“Em temperatura ambiente o mercúrio elementar é um metal líquido e inodoro, e aumentos de temperatura favorecem a formação de vapores que irritam o sistema respiratório. O vapor é pesado, e isso contribui para exposição de bebês, crianças e animais domésticos, que ficam mais próximos ao chão. No organismo o mercúrio sofre reações químicas, como oxidação, e isso ajuda no acúmulo de toxicidade”.

O especialista afirma também que o mercúrio é teratogênico, o que significa que poderá causar má formações em embriões e fetos. Por este motivo é importante que gestantes se mantenham distantes do local de exposição à substância.

Sobre os riscos de contaminação, Barioni reforça os cuidados com a quarentena no imóvel e corrobora a necessidade de acompanhamento médico de todos aqueles que tiveram contato com o material pesado.

“É importante isolar a área e promover a mitigação, vigilância e quantificação dos níveis de mercúrio nos indivíduos que foram expostos e tiveram contato com as crianças. Esta família necessita ser assistida por um bom tempo, e crianças, animais domésticos, idosos e gestantes devem se manter afastados do local até que este seja efetivamente descontaminado”, finaliza.

Podcast Além da Capa
Totalmente paralisado na região desde o início da quarentena de combate ao novo coronavírus, o setor de eventos ainda está “no escuro” sobre quando as atividades poderão ser retomadas, ainda que de forma parcial. Além da indefinição, uma série de dificuldades surgiram por conta da situação. Nesse episódio, o editor Bruno Moreira conversa com o repórter André Rossi sobre o panorama do segmento em Americana e região.