Preso por latrocínio em açougue comprou arma na ‘feira do rolo’ por R$ 1 mil

Revólver calibre 32 teria sido descartado em um córrego perto do Shopping Spazio Ouro Verde, que deságua no Rio Jaguari; polícia não localizou arma


Foto: Divulgação
A Justiça decretou no domingo a prisão temporária de Oliveira por 30 dias

Preso neste domingo (20) pela morte da dona de um açougue em Americana durante assalto na semana passada, Vinicius Pereira de Oliveira, 23, comprou a arma utilizada no crime na “feira do rolo” do bairro Campo Bello, em Campinas, por R$ 1 mil, de acordo informações do Baep (Batalhão de Ações Especiais) da PM (Polícia Militar) de Campinas, que prendeu o suspeito.

A Justiça decretou no domingo a prisão temporária de Oliveira por 30 dias, segundo o delegado da DIG (Delegacia de Investigações Gerais) de Americana, Luis Carlos Gazarini, que fez a solicitação. Em depoimento para a Polícia Civil, o suspeito confessou o crime e disse que pretendia usar o dinheiro do roubo para “manter a família”.

Oliveira indiciou para os policiais que teria jogado o revólver calibre 32 em um córrego perto do Shopping Spazio Ouro Verde, que deságua no Rio Jaguari. As roupas usadas naquele dia também teriam sido descartadas no mesmo local.

Equipes do Baep fizeram buscas no córrego, mas não conseguiram encontrar os itens. De acordo com o cabo Claudinei Vicente da Silva, o suspeito não informou a data em que a arma foi adquirida. O comércio informal funciona todo sábado e domingo, a partir das 5 horas, em uma área na altura da Rodovia Miguel Melhado Campos, que liga Vinhedo até o Aeroporto de Viracopos.

Receba as notícias do LIBERAL pelo WhatsApp

“Ele disse que tinha comprado a arma por R$ 1 mil na ‘feira do rolo’, aqui no Campo Belo, em Campinas, um bairro onde tem essa feira de rua e vende de tudo. Não falou quando, só falou que pagou R$ 1 mil. Era um revólver calibre 32”, contou Silva.

A moto utilizada no assalto foi comprada em um leilão e vendida após o crime. O suspeito, que foi solto em junho do ano passado, quando progrediu para o regime aberto após assalto a um mercado, teria ido para Americana porque “não rouba na região dele”, ainda segundo o cabo do Baep.

Ouça o “Além da Capa”, um podcast do LIBERAL

O crime

No dia 13 de outubro, Giani Aparecida Molina de Lião, de 54 anos, foi morta após ser baleada durante roubo à Casa de Carnes Colina, em Americana. Seu marido, José Roberto de Lião, de 57 anos, também foi baleado.

Os dois eram donos do açougue, que fica na Chácara Machadinho. O ladrão rendeu uma funcionária que tirava o lixo, entrou com ela e rendeu todos. Giani e o marido entregaram R$ 495 para o assaltante, mas reagiram e foram baleados.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora