Acusado de latrocínio passou a regime aberto ano passado

Vinícius Oliveira foi condenado pela Justiça a seis anos, dois meses e 20 dias de reclusão em 2017 após assaltar um mercado em Campinas


Foto: Divulgação
Vinícius Oliveira foi condenado pela Justiça a seis anos, dois meses e 20 dias de reclusão

Vinícius Pereira de Oliveira, de 23 anos, havia sido preso em flagrante em maio de 2017 por roubo a um mercado em Campinas, onde mora. Em junho do ano passado, foi liberado ao progredir para o regime aberto. Vinícius foi preso na manhã deste domingo e é apontado como responsável pela morte da comerciante Giani Molina de Lião, há uma semana, durante assalto à Casa de Carnes Colina.

No roubo de 2017, que Oliveira confessou, ele agiu ao lado de mais três homens – além dele, mais um foi preso. Levaram carnes, bebidas, cigarros e pertences das vítimas. Ele e um comparsa foram flagrados fugindo com uma caixa do estabelecimento. Segundo os documentos do processo, Vinícius pegou uma faca do mercado, que fica no Residencial Cosmos, em Campinas, e agrediu um cliente.

Vinícius e mais um dos suspeitos foram presos em flagrante. Vinícius Oliveira foi condenado pela Justiça a seis anos, dois meses e 20 dias de reclusão.

Ele cumpriu parte da pena no CPP (Centro de Progressão Penitenciária) de Hortolândia. Em 5 de junho de 2018, progrediu ao regime aberto – neste tipo de pena, o condenado apenas precisa se recolher em casa das 22h às 6h, além de ficar impedido de frequentar bares, boates e casas de prostituição. Além disso, se compromete, em 90 dias, a arranjar um emprego.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora