20 de julho de 2024 Atualizado 18:17

Notícias em Americana e região

8 de Agosto de 2019 Grupo Liberal Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Americana

Meche pede licença e não participará da sessão nesta quinta-feira

Expectativa é que a suplente Francine Estevam dos Santos, a Fran da Padaria, seja convocada

Por André Rossi / Talita Bristotti

06 de junho de 2019, às 11h59 • Última atualização em 06 de junho de 2019, às 17h39

O vereador de Americana, Marschelo Meche (PSDB), apresentou uma licença motivos de saúde e não irá participar da sessão desta quinta-feira na Câmara Municipal. O atestado médico já foi encaminhado ao Legislativo. A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa do parlamentar.

O parlamentar “desapareceu” e ficou incomunicável desde que foi flagrado com duas porções de cocaína em um quarto de motel no Jardim Gerivá, em Santa Bárbara d’Oeste, no último domingo. Assessores e colegas de partido não conseguiam contato com o vereador desde segunda-feira, após o caso vir à tona.

A expectativa, segundo apurou o LIBERAL, é que a suplente Francine Estevam dos Santos, a Fran da Padaria (PSDB), seja convocada para a sessão de hoje. Ela é a quinta suplente da coligação. Os suplentes imediatos estão ocupando cargos comissionados no Governo do Estado de São Paulo ou não teriam disponibilidade para participar da sessão.

O caso

No domingo, o vereador foi flagrado com cocaína em um motel no Jardim Gerivá, em Santa Bárbara. A PM (Polícia Militar) foi acionada pela recepcionista do local após o parlamentar começar a gritar dentro do quarto.

Meche teria confessado que a droga encontrada no quarto era de sua propriedade, “para o seu consumo próprio”. Um termo circunstanciado foi registrado para posterior procedimento investigatório sobre o caso.

O LIBERAL tentou entrar em contato com Meche por telefone na ocasião, mas as ligações não foram atendidas.

Depressão

Em julho de 2018, a depressão fez Marschelo Meche se afastar de seu posto como vereador por quase três meses. Na ocasião, ele chegou a dizer que a vida política tinha intensificado o quadro de depressão. Ele é diagnosticado há “há dois ou três anos”.

O LIBERAL apurou com uma pessoa próxima ao vereador que ele retornou aos atendimentos por causa da depressão há cerca de um mês. Ele “aparentava estar bem”, segundo a fonte.

Publicidade