23 de janeiro de 2022 Atualizado 08:24

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

COLAPSO NA SAÚDE

Hospital Municipal de Americana tem superlotação e improvisa leitos

Ocupação de enfermaria é de 154,2%; “estrutura permite evitar desassistência”, diz HM

Por Pedro Heiderich

13 jun 2021 às 15:38 • Última atualização 14 jun 2021 às 10:38

Hospital diz que usa leitos improvisados e pede que todos se vacinem – Foto: Marcelo Rocha / O Liberal

O HM (Hospital Municipal) Dr. Waldemar Tebaldi, de Americana, informou, em nota divulgada no início da tarde deste domingo (13), que está com superlotação na ala de coronavírus (Covid-19) de enfermaria e funciona com leitos improvisados.

Em nota, o hospital relata que no sábado registrou 54 pacientes em leito de enfermaria, onde a capacidade inicial da ala era de 35 (taxa de ocupação de 154,2%). Os 26 leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) estão ocupados.

Na sexta-feira (11), a taxa geral de ocupação de leitos para Covid-19 no município era de 92,93% de leitos com respiradores (de 99 no total, 92 estavam ocupados) e de 100% de leitos sem respiradores (107 de 107).

No Hospital Municipal a taxa era de 73,08% nos leitos com respiradores (de 26 no total, 19 ocupados) e 100% sem respiradores (42 de 42).

O hospital destaca na nota as ampliações recentes da capacidade do local. “O número de ambos os tipos de leito vêm sendo ampliados ao longo dos meses de 2021, sendo de 15 para 26 nas UTIs e de 18 para 35 nas enfermarias até agora”, aponta.



A última ampliação ocorreu recentemente, nos leitos de enfermaria, de 30 para 35, “entre os esforços de preparação para a terceira onda da doença, que tem representado uma alta significativa nos dados diários de Covid e na ocupação hospitalar”, ressalta a prefeitura.

“Para atender a todos, o HM vem dispondo de leitos provisórios e uma estrutura que permite evitar a desassistência”, informa a nota.

O HM, único hospital público do município, diz na nota ainda que “nunca mediu e não medirá esforços para garantir o devido atendimento de todos que a ele recorrerem”.

A publicação frisa que a dedicação da estrutura física e profissional é completa, mas cobra a população.

“É fundamental que todos continuem a seguir as medidas preventivas; se vacinem no momento que a sua faixa de público seja disponibilizada, que esta pandemia será superada”, encerra a nota divulgada pelo hospital.

Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

Americana tem atingido números de internações semelhantes aos do pico da segunda onda e figurado na faixa de taxa de ocupação acima de leitos de UTI acima de 90% nos últimos dias.

O Governo do Estado informou nesta semana, ao manter a fase de restrição do Plano São Paulo, que enviará sugestões de medidas de restrição para as prefeituras que atingirem a faixa citada acima, cabendo aos municípios acatar ou não.

As medidas devem ser divulgadas nos próximos dias. Na região, Santa Bárbara d´Oeste também deve receber as sugestões. O município está há mais de duas semanas com 100% de ocupação dos leitos de UTI de Covid-19.

Americana bateu recorde de internações, com mais de 200 nos hospitais da cidade, pela primeira vez desde o início da pandemia do coronavírus (Covid-19), há mais de um ano.

A cidade ultrapassou os 20 mil casos de coronavírus e se aproxima das 600 mortes causadas pela doença.

Três mil vacinados por dia
Em entrevista ao LIBERAL, após receber vacinas da Pfizer e aguardar a chegada do quarto tipo de imunizante, da Jansen, o prefeito Chico Sardelli (PV) revelou que estuda vacinar três mil pessoas por dia em Americana.

Ele discutirá o assunto com sua equipe nesta segunda-feira (14). “Estaremos reunidos para poder definir uma escala de maior atendimento para poder atender uma população mais volumosa e, assim, começarmos a diminuir os nossos problemas”, comentou.

Publicidade