07 de março de 2021 Atualizado 20:26

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Santa Bárbara

Unimep tem R$ 15 milhões em dívidas trabalhistas com a União

Em nota, instituição de ensino citou dificuldades financeiras para encerrar cursos em Santa Bárbara d’Oeste e Piracicaba

Por Leonardo Oliveira

20 fev 2021 às 07:30

O IEP (Instituto Educacional Piracicabano), mantenedor da Unimep (Universidade Metodista de Piracicaba), acumula R$ 15,4 milhões em dívidas com a União. O valor total dos débitos é por não depositar o FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) dos funcionários.

As informações constam na Lista de Devedores da PGFN (Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional). Se trata de uma plataforma com dados de todos os que possuem dívidas a quitar com a Receita Federal.

O crítico momento financeiro vivido pela instituição foi a justificativa dada à imprensa para desativação do campus da Unimep em Santa Bárbara e o fechamento de novas turmas em 24 cursos nos campus Centro e Taquaral, em Piracicaba, nesta quinta-feira.

Campus em Santa Bárbara: Unimep vive momento conturbado – Foto: Ernesto Rodrigues / O Liberal

“A Universidade tem enfrentado ao longo dos anos enormes dificuldades financeiras, seja por ações gerenciais que comprometeram seu fluxo de caixa, seja pela deterioração da educação superior com o expressivo aumento da concorrência com oferta de cursos com qualidade questionável, seja pela situação macroeconômica interna e externa, atingindo o ápice com a pandemia de Covid-19”, informou o IEP, em nota.

O IEP argumenta que as recentes mudanças ocorrem para buscar o equilíbrio financeiro e a retomada do crescimento. Docentes da Unimep estão em greve desde novembro do ano passado.

A alegação é de que o instituto atrasa salários e o pagamento de direitos trabalhistas desde meados de 2019.

Há casos de professores que não tiveram depositado o FGTS em suas contas nos últimos cinco anos, apurou a reportagem.

Uma reunião virtual está marcada entre professores e o Sinpro (Sindicato dos Professores de Campinas e Região) para a próxima segunda para discutir o tema.

Em uma nota divulgada à imprensa, o sindicato estima que centenas de alunos serão prejudicados. A reportagem questionou a Unimep sobre as dívidas trabalhistas e quantos alunos exatamente seriam afetados, mas não houve resposta.

A universidade tem convocado os estudantes, por mensagem, para comparecer aos câmpus da instituição a partir do dia 24 deste mês para detalhar alternativas para que cada um conclua seus estudos. Os matriculados em Santa Bárbara serão transferidos para a FAM (Faculdade de Americana).

No comunicado, que o LIBERAL teve acesso, o IEP aponta que houve uma diminuição no número de alunos matriculados e que, por isso, não seria possível dar sequência a formação de turmas para o semestre atual na instituição.

Afetado pelo anúncio, o estudante Adalberto Alves da Costa Júnior, de 34 anos, compareceu ao campus de Santa Bárbara para tentar reaver o valor que tinha pago na rematrícula, dois dias atrás.

Ele começou Engenharia de Produção em 2009, cursou até o oitavo semestre, mas parou por conta de um problema de saúde. Ele se matriculou para voltar aos estudos esse ano e foi surpreendido com o cancelamento de seu curso.

“Em nenhum momento que eu estava fazendo a matrícula eles demonstraram que ia acontecer isso. Muito triste, a gente sente impotente perante essa situação. É um curso tradicional, bem avaliado no mercado”, disse.

Publicidade