02 de dezembro de 2021 Atualizado 11:52

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Santa Bárbara

‘É o fechamento de um patrimônio histórico’, diz presidente de sindicato

Situação dos professores preocupa o Sinpro; docentes estão em greve desde o ano passado

Por Leonardo Oliveira

18 fev 2021 às 21:53

O fechamento do campus de Santa Bárbara d’Oeste da Unimep (Universidade Metodista de Piracicaba) pegou de surpresa o Sinpro (Sindicato dos Professores de Campinas e Região).

Mesmo com o recente histórico de greves, a presidente da entidade, Conceição Fornasari, disse ao LIBERAL que não esperava que a medida se concretizasse.

“É o fechamento de um patrimônio educacional, científico, histórico. Não de Santa Bárbara, da região, mas do Brasil, porque o campus Santa Bárbara chegou a ter mais de 2,5 mil alunos”, afirmou.

Presidente do Sinpro criticou fechamento de campus em Santa Bárbara – Foto: Fepespe / Divulgação

Em período recente, a universidade enfrentou dificuldades para abrir turmas e viu o número de alunos reduzir drasticamente. Conceição estima que dezenas de estudantes estejam matriculados no momento.

Todos os alunos serão absorvidos pela FAM (Faculdade de Americana).

A universidade, mantida pelo IEP (Instituto Educacional Piracicabano), tem enfrentado grave crise financeira nos últimos anos. Os professores dos campus de Lins, Piracicaba e Santa Bárbara d’Oeste estão de greve desde novembro do ano passado.

Eles alegam atrasos nos salários e o descumprimento dos direitos trabalhistas desde meados de 2019.

Há uma série de disciplinas e cursos que não encerraram o ano letivo de 2020 por esse motivo. Agora, o sindicato questiona como ficará a situação das dezenas de professores que dão aula no município barbarense.

“O fechamento do campus Santa Bárbara significará dezenas de demissões e as demissões não podem ocorrer durante a greve. E eles já descumpriram a lei de greve quando demitiram, ao final do ano, alguns professores”, disse Conceição.

Para a presidente do sindicato, os problemas na Unimep se iniciaram em 2006.

“Quando a igreja metodista resolveu criar a rede metodista, colocando a gestão da rede nas mãos de um grupo que nada entendia de educação, que não era formado em educação, que veio efetivamente para desconstruir o projeto institucional da Unimep”, disse.

O campus de Santa Bárbara fica na Rodovia Luiz Ometto (SP-306) – ele abrigava os cursos da área de Engenharia e Tecnologia, Arquitetura e Urbanismo e Direito, além da pós-graduação em Engenharia de Produção.

Publicidade