25 de julho de 2021 Atualizado 12:01

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

CORONAVÍRUS

Vacinação de grávidas tem baixa procura em Santa Bárbara e Hortolândia

Já as prefeituras de Americana e Sumaré relataram procura dentro do esperado

Por Pedro Heiderich

22 jun 2021 às 18:39

Vacina da AstraZeneca foi suspensa para gestantes pela Anvisa em maio; grupo só pode ser vacinado com Pfizer ou CoronaVac – Foto: Prefeitura de Santa Bárbara d´Oeste

A vacinação contra o coronavírus (Covid-19) de gestantes e puérperas tem baixa procura em Santa Bárbara d’Oeste e em Hortolândia.

As prefeituras buscam medidas para aumentar a vacinação da categoria, que teve início em maio, para as gestantes com comorbidades acima de 18 anos.

Na época, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) suspendeu a vacinação do grupo com a vacina da AstraZeneca/Oxford, após a morte de uma gestante que teria utilizado o imunizante.

A vacinação prosseguiu com outros imunizantes, como a vacina da Pfizer ou da CoronaVac/Butantan. No início do mês de junho, foi ampliada a vacinação para todas as gestantes e puérperas acima de 18 anos, incluindo as sem comorbidades.

A reportagem pediu avaliação às prefeituras sobre a adesão do grupo à vacina e a quantidade de gestantes vacinadas e estimativa de quantas ainda não procuraram a vacina.

A Secretaria de Saúde de Santa Bárbara informou que a adesão está baixa, “considerando que 452 doses foram aplicadas até o momento entre gestantes e puérperas e que este número representa 23,9% da cobertura vacinal estimada para este grupo”.

Segundo a pasta, equipes das unidades básicas de saúde e de outros setores da secretaria “tem intensificado as orientações sobre a importância da vacinação para as gestantes e puérperas que comparecem às unidades”.

De acordo com a Secretaria de Saúde de Hortolândia, a adesão de gestantes e puérperas à vacina está “abaixo do esperado”.

A prefeitura tem intensificado campanhas para conscientizar a importância da vacinação do grupo e não informou a quantidade de gestantes imunizadas.

Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

Americana já vacinou quase 600 grávidas

Já as prefeituras de Americana e Sumaré relataram que a procura deste grupo prioritário pela vacina tem ocorrido dentro do esperado e não preocupa.

Americana já vacinou com a primeira dose 596 gestantes e púerperas. Segundo a prefeitura, há 15 mulheres deste grupo que ainda não foram receber a segunda dose.

Em Sumaré, já foram vacinadas 944 gestantes e púerperas. A reportagem também questionou a prefeitura de Nova Odessa, que não respondeu até o momento.

Em todo o estado, já foram vacinadas 103 mil gestantes. A Secretaria de Saúde do Estado não avaliou como baixa, média ou alta a adesão do grupo à vacinação conforme pedido pelo LIBERAL.

Entretanto, a baixa procura estado adentro tem preocupado especialistas.

A Sogesp (Associação de Obstetrícia e Ginecologia do Estado de São Paulo) inicia nesta terça-feira (22) uma programação de lives especiais para tirar as dúvidas sobre a vacinação de gestantes e puérperas, em encontros diários às 19h, nas redes sociais da associação.

Publicidade