17 de junho de 2021 Atualizado 00:01

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Covid-19

Gestantes e puérperas sem comorbidades serão vacinadas a partir da próxima semana

Com chegada de doses da Pfizer, grupo de 400 mil mulheres será imunizado no Estado de São Paulo

Por Marina Zanaki

04 jun 2021 às 15:02 • Última atualização 04 jun 2021 às 15:06

O Governo de São Paulo anunciou que gestantes e puérperas sem comorbidades começarão a ser vacinadas a partir da semana que vem. A imunização do grupo, composto por 400 mil mulheres, é possível graças ao recebimento de 150 mil doses da Pfizer. A Coronavac, do Instituto Butantan, também será usada na imunização desse público.

Na segunda-feira (7), a vacinação começa nas cidades de Campinas, São Bernardo do Campo e na capital paulista. Nesses locais, os profissionais de saúde já passaram pelo treinamento para aplicação das vacinas da Pfizer. O imunizante precisa de armazenamento especial, entre -15° e -25°.

Nos demais municípios do Estado de São Paulo, a vacinação de grávidas e puérperas está marcada para começar em 10 de junho. Haverá treinamento pela farmacêutica Pfizer aos profissionais da saúde para aplicação das doses.

Até então, São Paulo estava vacinando apenas gestantes e puérperas que apresentassem alguma comorbidade da lista prevista no Plano Nacional de Imunização. A partir de agora, qualquer mulher que esteja grávida ou tenha dado à luz nos últimos 45 dias poderá ser vacinada.

As grávidas em qualquer período gestacional deverão apresentar relatório ou laudo médico com indicação do profissional para tomar a vacina. As puérperas podem apresentar certidão de nascimento da criança.

“Nós já trabalhamos com gestantes com comorbidades e agora estamos abrindo essas faixas para as sem comorbidades. Então em torno de 400 mil gestantes e puérperas receberão a vacina”, disse a Coordenadora Geral do Plano Estadual de Imunização, Regiane de Paula.

Imunizantes

O uso da vacina da Fiocruz/Astrazeneca para grávidas e puérperas está suspenso desde maio por orientação do Ministério da Saúde e da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). A medida foi adotada após a morte de uma gestante no Rio de Janeiro.

“Na próxima segunda-feira, na capital, em São Bernardo do Campo e em Campinas, iniciaremos a vacinação de gestantes e puérperas. E a partir de quinta, dia 10, em todos os demais municípios do estado de São Paulo, de maneira a planejar e organizar a vacinação com a vacina correta. Ou seja, as vacinas da Pfizer e a do Butantan, que são as duas que a medicina recomenda e aprova para gestantes e puérperas”, anunciou o governador João Doria (PSDB).

Publicidade