Polícia detém mais dois que estariam envolvidos no latrocínio em açougue

Polícia pediu a prisão temporária dos suspeitos e dá a investigação da morte de Giani Aparecida Molina de Lião como encerrada


A Dise (Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes) deteve mais dois suspeitos que teriam envolvimento no latrocínio na Casa de Carnes Colina, em Americana, que acabou resultando na morte da comerciante Giani Aparecida Molina de Lião, de 54 anos.

Foto: Reprodução - Facebook
Giani foi morta durante assalto a Casa de Carnes Colina

Um deles é ex-funcionário do açougue e foi detido na manhã desta quarta-feira (30), no Jardim Bertoni.

Receba as notícias do LIBERAL pelo WhatsApp

O outro envolvido no crime está preso desde o último dia 15, acusado de tráfico de drogas. Florisvaldo José Prock foi preso em uma ação da Polícia Militar no Jaguari. Ele também era suspeito de ter participado de um roubo em Bebedouro, na região de Ribeirão Preto, no dia 10 deste mês.

Até a publicação desta reportagem, os dois homens estavam sendo ouvidos na delegacia especializada, que investiga o crime.

Ouça o “Além da Capa”, um podcast do LIBERAL

A polícia já pediu a prisão temporária desses dois suspeitos e está dando a investigação do caso como encerrada. Uma coletiva de imprensa está agendada para às 11h.

Autor

Apontado como autor dos disparos, Vinícius Pereira de Oliveira, de 23 anos, foi preso no dia 20 de outubro suspeito de ter matado Giani. Ele foi detido pelo Baep (Batalhão de Ações Especiais) da Polícia Militar, em Campinas, e teve a prisão temporária decretada por 30 dias.

Foto: Reprodução
Vinícius foi detido pelo Batalhão de Ações Especiais da Polícia Militar, em Campinas
LIBERAL VIRTUAL Acesse agora