27 de maio de 2022 Atualizado 14:54

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Escola de Artes

Prefeitura quer transformar formação de artistas e oficinas culturais em política pública em S. Bárbara

Regulamentação do programa está na câmara e expectativa é que iniciativa comece a funcionar no próximo ano

Por Marina Zanaki

02 Dezembro 2021, às 08h24

A Prefeitura de Santa Bárbara d’Oeste lançou o projeto Escola de Artes – Caminhos da Cultura, que prevê formação de artistas e oficinas culturais. O executivo enviou à câmara um projeto de lei que regulamenta o programa, que pretende ser uma política pública de incentivo à cultura na cidade.

O Caminhos da Cultura engloba o ensino da arte nas modalidades cênicas; circenses; digitais; populares, tradicionais e urbanas; visuais; artesanato; cultura afro brasileira; dança; economia criativa; elaboração de projetos culturais; gestão cultural; literatura, linguagem e narrativa oral; música; patrimônio material e imaterial.

O secretário de Cultura e Turismo Evandro Felix no lançamento do programa, há duas semanas – Foto: Arquivo / O Liberal

O projeto enviado para análise do legislativo barbarense prevê a realização de cursos de longa (cinco a seis semestres), média (três a quatro semestres) e curta (dois semestres) duração, além de palestras, oficinas e workshops.

Previsto para ser colocado em prática em 2022, o Caminhos da Cultura conta com previsão orçamentária específica de R$ 300 mil da Secretaria de Cultura e Turismo. Responsável pela pasta, Evandro Felix destacou que essa é a primeira vez que isso acontece na cidade.

Até então, as oficinas culturais utilizavam dinheiro do Fundo do Conselho Municipal de Política Cultural, composto pela arrecadação de taxas do Teatro Municipal Manoel Lyra, Anfiteatro Municipal Detinha Dagnoni e Usina Santa Bárbara.

“Em diálogo com o Conselho, identificamos que era responsabilidade do município a oferta dessas atividades. Temos um grande salto. Artistas serão contemplados com editais de projetos e o município fará investimento na formação cultural através de uma dotação orçamentária”, declarou Evandro durante coletiva de imprensa para anúncio do programa, em 19 de novembro.

Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

As oficinas serão gratuitas e realizadas em equipamentos culturais, como o Léo Sallum e Teatro Municipal Manoel Lyra, e também em escolas.

“Sabemos que oficinas são importantes para o desenvolvimento do ser humano, principalmente crianças e jovens. Em bairros onde não temos equipamento específico da cultura temos escolas muito bem equipadas, algumas até com anfiteatro”, disse Evandro.

No lançamento do projeto, o prefeito Rafael Piovesan (PV) lembrou que a cidade recebeu o título de “Capital Cultural de Estado de São Paulo” em 2020.

“Sempre foi desejo dos artistas que tivéssemos uma política pública, e é um dever do executivo criar instrutores para aperfeiçoar a arte em suas diferentes modalidades para trazer para o dia a dia das pessoas. É um marco, estamos criando uma política pública para pensar na formação dos artistas”, declarou o prefeito.

Artistas e professores de diferentes áreas poderão pleitear ministrar as oficinas por meio de Edital de Credenciamento, e não é preciso ser morador de Santa Bárbara d’Oeste para concorrer.

Após ter sido apresentado à câmara, o projeto tem 90 dias para ser votado pelos vereadores. Contudo, ele recebeu pedido de parecer pela Comissão de Justiça e Redação, situação comum quando ocorre alguma dúvida sobre o texto. A procuradoria da câmara vai analisar e retornar para a Comissão. Até lá, o prazo para a votação fica suspenso.

Publicidade