06 de dezembro de 2021 Atualizado 15:20

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

DEMISSÃO VOLUNTÁRIA

Trabalhadores da Honda em Sumaré votam contra PDV e pedem nova proposta

Assembleia definiu que categoria exige ‘um PDV real’ e aumento da indenização; Honda anunciou programa de demissão

Por Pedro Heiderich

14 out 2021 às 17:03

Proposta da Honda não agradou funcionários de Sumaré – Foto: Divulgação/Sindicato dos Metalúrgicos de Campinas e Região

Em assembleia nesta quinta-feira (14) com os trabalhadores da fábrica de Sumaré, o Sindicato dos Metalúrgicos de Campinas e Região tomou uma decisão sobre a demissão voluntária proposta pela Honda.

A categoria recusou a adesão ao programa e exige reunião para que seja feita nova proposta.

A Honda anunciou a abertura de PDV (Programa de Demissão Voluntária) nas fábricas de Sumaré e Itirapina, que juntas empregam cerca de 3 mil funcionários.

Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

O LIBERAL falou com Sidelino Orsi Junior, presidente do sindicato da categoria, que revelou na tarde desta quinta a decisão dos trabalhadores de Sumaré.

Ele acusa a Honda de fazer rotatividade de funcionários para abaixar a média salarial disfarçada pelo PDV.

“Somos contra o PDV. O papel do sindicato é negociar emprego, estabilidade, salários, direitos, e não discutir demissão. O PDV da empresa é falso, fake news, como está na moda”, declarou.

Segundo ele, a empresa quer demitir e não tem condições. “Querem demitir quem ganha mais para, daqui a pouco, se precisar, contratar quem ganha menos e diminuir a média salarial”, apontou.

Agora, com a recusa do PDV por parte dos trabalhadores, foi acordado em assembleia que será protocolado um documento na empresa, pedindo uma reunião com a Honda para que faça uma nova proposta.

“Uma proposta inteira do PDV, e real, em que se o trabalhador optar por sair, sai imediatamente, sem ter que esperar até o final do ano, como apresentaram. E com outra proposta de indenização, esta não satisfaz os trabalhadores”, encerra Sidalino.

Nesta sexta-feira (15), será a assembleia em Itirapina, comandada pelo Sindicato dos Metalúrgicos de Limeira e Região.

O Ivan Maia está sempre Virando a Chave e quer te ajudar a fazer o mesmo em seu blog no LIBERAL.

Outro lado
Questionada pelo LIBERAL, a Honda respondeu que não comenta a decisão do sindicato e reforçou que o objetivo do programa é “oferecer condições para uma transição segura àqueles que contribuíram com a empresa ao longo de suas carreiras”.

A nota afirma que existem colaboradores “enfrentando dificuldades para a transferência ou que não se adaptaram à região de Itirapina e desejam retornar à região de origem”.

O sindicato diz que não procede a informação e que houve insegurança dos trabalhadores devido à demora da empresa em realizar a transferência de uma unidade para a outra.

Publicidade