18 de janeiro de 2022 Atualizado 19:45

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

TRAGÉDIA EM CAPITÓLIO

Quatro das vítimas do desabamento em Capitólio são de Sumaré

Corpo de Bombeiros e Polícia Civil confirmaram dez mortes em lago onde houve desabamento de rochedo no sábado

Por Guilherme Magnin e João Colosalle

09 jan 2022 às 10:55 • Última atualização 09 jan 2022 às 15:19

O desabamento de um rochedo que faz parte de um cânion em Capitólio, em Minas Gerais, na manhã deste sábado (8), deixou ao menos dez mortos, entre eles quatro pessoas de Sumaré, todas moradoras da região do Matão. São elas:

  • Maicon Doulgas de Osti, mecânico, que completaria 25 anos neste domingo
  • Camila da Silva, namorada de Maicon
  • Carmem Pinheiro, mãe de Camila
  • Geovany Teixeira da Silva, de 37 anos, namorado de Carmem

As informações foram confirmados por familiares, ao LIBERAL, e nas redes sociais. “A gente viu pelas redes sociais o acidente, com a pedra desabando, mas a gente não imaginava que tinha acontecido com o nosso irmão”, contou à reportagem Mateus Rodrigues dos Santos, de 20 anos, irmão de Maicon.

“Tentamos ligar para o meu irmão, mas ele não atendia, lá é muito ruim de área, para telefone. Aí as notícias foram chegando, cada um falava alguma coisa, até que uma pessoa daqui foi para lá e conseguiu a informação e avisou, aí a gente ficou sabendo”, disse o jovem.

Maycon, Camila, Carmem e Geovany estão entre vítimas de tragédia em Capitólio; todos moravam em Sumaré – Foto: Reprodução/Redes Sociais

Ainda de acordo com Mateus, o pai dele foi até a cidade mineira para fazer os procedimentos de liberação do corpo. Não há informações sobre velório e sepultamento do rapaz. Os corpos ainda estão no IML (Instituto Médico Legal) de Passos, cidade vizinha.

As vítimas estavam em uma lancha chamada Jesus, que foi a mais atingida entre quatro embarcações, segundo o Corpo de Bombeiros.

As outras quatro vítimas seriam todas familiares de Geovany, mas moradoras de outras cidades.

Segundo o LIBERAL apurou, o corpo de Geovany, bem como o de um adolescente de 14 anos, ainda era um dos desaparecidos na manhã deste domingo, segundo a Polícia Civil informou em uma coletiva de imprensa.

Ainda não houve confirmação oficial sobre a identificação dos envolvidos na tragédia. O trabalho conta com apoio de papiloscopistas da Polícia Federal em Minas.

Repercussão

Por meio das redes sociais, o presidente da Câmara de Sumaré, Willian Souza (PT), e o deputado estadual Dirceu Dalben (PL) lamentaram o ocorrido. Ambos são moradores da mesma região das vítimas, que viviam no bairro Nova Terra.

“Um passeio turístico que terminou em tragédia. Estamos perplexos com o ocorrido em Minas Gerais. Nossos sinceros sentimentos aos familiares e amigos neste momento de muita dor. Que Deus conforte o coração de todos”, escreveu Willian, que é vizinho das vítimas.

Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

Dirceu Dalben também comentou o episódio pelas redes sociais, ainda no início da madrugada deste domingo (9).

“Ainda impactado com a grande tragédia e com muito pesar, recebemos a informação sobre o falecimento de uma família do bairro Nova Terra, aqui do município de Sumaré, vítima da tragédia de hoje em Capitólio, em Minas Gerais. Que Deus conforte o coração de todos os familiares e amigos neste momento de dor e despedida. Nossos sinceros sentimentos”, escreveu deputado, que foi prefeito de Sumaré.

Tragédia

O desabamento ocorreu por volta de 11 horas de sábado, quando vários barcos passeavam pelo ponto turístico. Um grande pedaço de rocha desabou, atingindo ao menos dois barcos que estavam logo abaixo. Vídeos do ocorrido circulam nas redes sociais desde então.

Bombeiros fazem busca no Lago de Furnas, após desabamento de rochedo – Foto: Corpo de Bombeiros de Minas Gerais/Divulgação

Ainda de acordo com os Bombeiros, 32 pessoas ficaram feridas, das quais quatro estão hospitalizadas em cidades próximas. Pelo menos três barcos foram atingidos, dos quais dois afundaram. Três pessoas ainda estava desaparecidas na manhã deste domingo.

A Marinha auxilia o Corpo de Bombeiros com equipes de busca e salvamento. Um inquérito será instaurado para apurar o incidente.

O local onde ocorreu o acidente – o Lago de Furnas – é um dos principais pontos turísticos do Estado. A região tem águas calmas para navegação e mergulho e belezas naturais, como cachoeiras, que atraem turistas, inclusive, de Americana e região.

Por meio de seu perfil no Twitter, o governador de Minas Gerais, Romeu Zema, se pronunciou sobre o acidente. “Sofremos hoje a dor de uma tragédia em nosso Estado, devido às fortes chuvas, que provocaram o desprendimento de um paredão de pedras no lago de Furnas, em Capitólio. O governo de Minas está presente desde os primeiros momentos através da Defesa Civil e Corpo de Bombeiros”, trouxe a nota.

Publicidade