25 de julho de 2021 Atualizado 16:31

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

CAPTURADO

Procurado por homicídio após dívida de R$ 40 em Santa Bárbara é preso no Paraná

Suspeito estava foragido desde o início do mês; testemunha ouviu ele falar que ia matar por conta de dívida, diz polícia

Por Pedro Heiderich

20 Maio 2021 às 15:48

Procurado por homicídio em Santa Bárbara d´Oeste, Charles Douglas Teixeira de Brito, 28, foi preso no interior do Paraná nesta terça-feira (18). Ele é suspeito de matar Jeferson Macari Verissimo, 28, em abril, no Santa Rita de Cássia, por suposta dívida de R$ 40, aponta a polícia.

Jeferson deixa dois filhos; testemunha ouviu suspeito dizer que ia matá-lo – Foto: Facebook / Reprodução

O caso é investigado pelo 3º DP (Distrito Policial), responsável pela área dos fatos, que pediu a prisão preventiva de Charles, concedida pela Justiça no dia 3 de maio. Desde então, ele era procurado pela polícia, já sob a suspeita de que estaria em outro estado.

Umuarama fica a mais de 700 quilômetros de Santa Bárbara, e a 115 quilômetros da fronteira com o Paraguai. A polícia chegou ao suspeito após denúncia.

O LIBERAL no seu e-mail: se inscreva na nossa newsletter

De acordo com informações divulgadas pelo 3º DP ao LIBERAL nesta quinta-feira (20), Charles estava foragido desde que teve o mandado de prisão preventiva expedido pelo juiz Cassio Henrique Dolce de Faria, da 2ª Vara Criminal de Santa Bárbara.

O delegado Gabriel Fagundes de Toledo Netto, responsável pelo caso, indicou que Charles seja indiciado homicídio simples por motivo fútil e pediu a prisão preventiva do suspeito por 30 dias, podendo ser prorrogada.

Na decisão de 3 de maio, o juiz alega que o pedido de prisão se dá por o indiciado não ter residência fixa e já ter fugido para outro estado antes, além de poder intimidar as testemunhas.

Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

RELEMBRE O CASO

O corpo de Jeferson foi encontrado em uma viela na Rua Euclides de Cunha, no Santa Rita de Cássia, em 12 de abril, sem documentos. A polícia identificou a vítima no dia seguinte, quando Jeferson, que deixou dois filhos, foi sepultado no Cemitério da Paz.

Duas semanas depois, em 27 de abril, os investigadores receberam denúncia anônima de testemunha que afirma ter visto Charles, no Condomínio Manacá, no Bosque das Árvores, onde morava, na noite do crime.

A testemunha viu Charles saindo da área comum do condomínio amolando uma faca e dizendo que iria na viela matar Jeferson, que dormia no local, porque este lhe devia 40 reais.

Charles tem passagem por furto, roubo, motim de presos, desacato e ameaça e ainda por latrocínio, quando era menor de idade. Além disso, ele tinha ameaçado matar a ex-mulher e familiares recentemente.

Publicidade