23 de abril de 2024 Atualizado 17:35

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

SEGURANÇA

Mulher aciona botão do pânico e ex-marido é preso pela GCM em Santa Bárbara

Cinco homens já foram detidos por descumprimento de medida protetiva após acionamento do dispositivo, implementado em 2022

Por Cristiani Azanha

02 de dezembro de 2023, às 09h12

Um homem de 43 anos foi pela GCM (Guarda Civil Municipal) após pular no quintal da residência da ex-esposa, no bairro Mollon, em Santa Bárbara d’Oeste, na madrugada desta sexta-feira (1º). A vítima acionou o botão do pânico no celular dela – tecnologia disponibilizada pela Guarda para mulheres com medida protetiva – e, minutos depois, os agentes localizaram o invasor ainda dentro da casa. 

Durante um ano de funcionamento do sistema, implementado em outubro de 2022, cinco agressores já foram detidos por descumprimento de medida protetiva após acionamento do botão do pânico.

Mulheres atendidas pelo Programa Anjo da Guarda da Mulher podem pedir ajuda em aplicativo pelo celular – Foto: Prefeitura de Santa Bárbara d´Oeste/Divulgação

Atualmente, 41 mulheres com medida protetiva são atendidas pelo “Programa Anjo da Guarda da Mulher” e contam o botão de pânico no celular,  segundo o secretário municipal de Segurança, Trânsito e Defesa Civil, Rômulo Gobbi.

Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

No caso mais recente, a mulher estava no quarto quando o suspeito teria entrado na casa. Ele a segurou pelo braço e disse que queria conversar, mas acabou detido pela GCM após a vítima acionar o aplicativo.

O suspeito foi conduzido ao Plantão Policial e autuado em flagrante por descumprimento de medida protetiva. O agressor permaneceu detido até ser apresentado à audiência de custódia.

Siga o LIBERAL no Instagram e fique por dentro do noticiário de Americana e região.

“Consideramos que o botão do pânico é eficiente, pois a vítima não precisa perder tempo em relatar o que ocorre, nome ou endereço. Basta um alarme para que a equipe mais próxima possa ser direcionada para a casa da vítima, que já tem um pré-cadastro na Guarda”, diz Gobbi.

Botão do pânico

A ferramenta é disponibilizada pela Guarda Civil Municipal, que envia uma viatura assim que o dispositivo no celular é acionado pela vítima.

O Anjo da Guarda da Mulher foi instituído em 2017 por uma lei municipal. De acordo com a corporação, as ações feitas pelo grupo têm resultado na diminuição dos descumprimentos de medidas protetivas, bem como dos crimes praticados contra as mulheres.

Publicidade