17 de setembro de 2021 Atualizado 17:08

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

HABITAÇÃO

Leitinho aprova terceiro loteamento em Nova Odessa; contrapartida inclui represa

Outros dois loteamentos haviam sido aprovados em maio e um deles faz parte da negociação para a contrapartida

Por Pedro Heiderich

30 jul 2021 às 16:26

Área onde represa será construída – Foto: Divulgação/Prefeitura de Nova Odessa

Crítico a aprovação de novos loteamentos alegando o risco de faltar água durante a campanha eleitoral de 2020, o prefeito Cláudio José Schooder, o Leitinho (PSD) aprovou nesta semana o terceiro loteamento em Nova Odessa. Somados, serão 1.215 lotes.

A contrapartida garante a construção de uma nova represa no município e um novo parque linear.

O novo loteamento, Jardim das Videiras, terá 315 lotes e será construído na Avenida São Gonçalo, ao lado de um dos outros dois loteamentos aprovados anteriormente, o Parque Villa América, que terá 644 lotes, que não entrou nesta negociação e tem contrapartida diferente (veja abaixo).

A ação faz parte da renegociação realizada pelo Executivo com a empreendedora Cataguá Construtora e Incorporadora Ltda, com o loteamento Jardim Flamboyant, de 242 lotes, o outros dois loteamentos aprovados em maio.

Os três empreendimentos já haviam sido pré-aprovados na gestão passada, em 2020.

Leitinho aprovou os dois primeiros loteamentos de sua gestão (Jardim Flamboyant e Villa América) um dia após os quatro meses da suspensão de aprovação de loteamentos, divulgada em fevereiro.

O objetivo era revisar as dezenas de pedidos de regularização de empreendimentos e reavaliar os processos de aprovação de condomínios e residenciais.

Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

O Executivo renegociou no final de julho as contrapartidas anteriormente aprovadas para os empreendimentos Jardim Flamboyant e Jardim das Videira, de forma que fossem “unificadas” na construção do complexo de represa e parque público na área verde do São Manoel.

No caso do Videiras, a contrapartida exigida pela gestão anterior era a construção de um prédio de escola com mil metros quadrados, e no caso do Flamboyant, a duplicação do trecho da Avenida São Gonçalo (incluindo a área do próprio loteamento).

A nova contrapartida “unificada” consiste na construção de uma nova represa municipal na área alagadiça ao longo da Rua Fioravante Martins até ao cruzamento com a Avenida Ampelio Gazzetta, no Jardim São Manoel.

O LIBERAL no seu e-mail: se inscreva na nossa newsletter

Será o primeiro reservatório de grande volume feito na cidade em quase 30 anos – o mais recente foi a Represa Recanto 3, em 1992.

Além de ampliar a capacidade de reservação de água bruta da cidade em até 20%, a obra vai incluir um novo parque linear com pista de caminhada, ciclovia e paisagismo no entorno da nova represa, que será formada pelas águas das nascentes dos córregos Capuava e Piconi.

Estimada previamente R$ 3,7 milhões, a incorporadora vai destinar R$ 500 mil para projeto e licenciamento, mais R$ 2,1 milhões para as obras – o que ultrapassar o valor será arcado pela Coden Ambiental, que acompanha a fase de projeto da nova represa e parque linear.

Classimais: clique aqui e confira as vagas anunciadas no classificado do LIBERAL.

Villa América

O Villa América, aprovado em maio e que não entrou nesta negociação, com 644 lotes, terá como contrapartida a realização de serviços e obras de desassoreamento do Ribeirão Quilombo entre os limites com Sumaré e Americana, perfazendo aproximadamente onze quilômetros.

Além disso, deve doar uma escavadeira e 60 ares-condicionados para diversos setores públicos. Estão inclusos na contrapartida a construção de galpão e o fornecimento de máquinas de costura e de fabricação de fraldas.

Publicidade