27 de novembro de 2020 Atualizado 11:53

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Hortolândia

Aumentam ocorrências de perturbação do sossego e aglomerações em Hortolândia

Da noite de sexta-feira (23) a domingo (25), foram atendidas 41 denúncias pelas equipes da Guarda Municipal

Por Heitor Carvalho

26 out 2020 às 17:34

Guarda Municipal de Hortolândia fiscalizou aglomerações na cidade neste final de semana - Foto: Divulgação

A “Operação Saturação”, realizada semanalmente pela Prefeitura de Hortolândia, registrou novo aumento no número de ocorrências de aglomeração de pessoas e perturbação do sossego neste final de semana.

Da noite de sexta-feira (23) a domingo (25), foram atendidas 41 denúncias pelas equipes da Guarda Municipal. No final de semana passado, houve 30 atendimentos deste tipo na cidade, 11 a menos que agora.

Realizada desde março pela GM e pelo Setor de Fiscalização todos os finais de semana, a Operação tem o objetivo de conscientizar a população, orientar o funcionamento correto dos estabelecimentos comerciais e evitar a disseminação do coronavírus.

Mesmo com a entrada de Hortolândia na “Fase Verde” do Plano São Paulo de reabertura gradual das atividades, é proibida a realização de festas com aglomerações, em espaços públicos e privados, além de ações que perturbem o sossego dos munícipes.

Segundo a Secretaria de Segurança, desde janeiro, foram registradas 2.692 ocorrências ligadas à perturbação do sossego e aglomeração de pessoas com maior número de casos registrados durante a pandemia.

Como denunciar

Quem flagrar estas situações poderá denunciar os infratores, que podem ser levados à delegacia. Denúncias que caracterizem aglomeração de pessoas ou perturbação de sossego podem ser feitas à corporação, a qualquer hora do dia ou da noite, todos os dias da semana, pelo telefone 153 ou 08000-111-580.

Os responsáveis por organizar festas clandestinas podem ser multados em até R$ 5.000,00, segundo as leis de perturbação do sossego. O local da confraternização poderá ser lacrado, alerta a Secretaria de Governo.

Publicidade