28 de novembro de 2020 Atualizado 11:24

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Foragido

Ajudante acusado de tentar matar policiais é preso em Hortolândia

Homem conseguiu fugir depois de tentar assaltar temakeria em Mauá, onde havia um policial no momento

Por Leonardo Oliveira

13 out 2020 às 16:52 • Última atualização 13 out 2020 às 16:55

A PM (Polícia Militar) prendeu, na manhã desta segunda-feira (12), em Hortolândia, um ajudante geral de 41 anos, acusado de ter tentado matar policiais militares durante um roubo a uma temakeria de Mauá (SP).

O ajudante foi detido na Avenida Santana, no Jardim Residencial Firenze, dentro do seu veículo. Antes, os policiais foram até a casa dele, no Jardim Amanda, mas sua companheira negou que ele estivesse lá.

Os agentes marcaram o modelo do automóvel. Horas depois, em patrulhamento, viram o carro passando, realizando a abordagem e prendendo o indivíduo.

O crime

Segundo a denúncia do MP (Ministério Público), o ajudante e um comparsa entraram em uma temakeria de Mauá-SP na noite do dia 30 de maio e anunciaram o assalto, ordenando que a funcionária entregasse todo o dinheiro do caixa.

Ela deu R$ 600 para os acusados. Mesmo assim, um deles apontou a arma em direção a funcionária e apertou o gatilho. O latrocínio só não se consumou porque a arma falhou e não disparou, segundo testemunhas.

Essa funcionária é casada com um policial militar, que estava dentro do estabelecimento. Ele anunciou que era da corporação e ordenou que a dupla se rendesse.

Teve início aí uma perseguição policial. Um outro agente da PM viu a ação e ajudou na tentativa de prender os suspeitos. Depois de algum tempo e uma troca de tiros, um dos acusados foi preso, enquanto o ajudante fugiu.

Ele só foi identificado porque os policiais encontraram uma moto perto do local do crime que foi usada para transportar a dupla e estava no nome do ajudante. As vítimas também fizeram o reconhecimento por foto.

Um mandado de prisão foi expedido em 16 de junho – desde então o ajudante era procurado pela Justiça. O processo ainda não foi julgado em primeira instância e uma audiência de instrução está marcada para esta quarta-feira (14).

Publicidade