18 de junho de 2024 Atualizado 18:20

Notícias em Americana e região

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Polícia Civil

Polícia prende suspeito de matar homem em bar no Jardim dos Lírios, em Americana

Nilton César da Silva chegou a ser internado após levar tiro, mas não resistiu; outro homem que estava perto foi atingido no braço, mas sobreviveu

Por Cristiani Azanha

27 de maio de 2024, às 19h51 • Última atualização em 27 de maio de 2024, às 19h59

O motorista Elismar Batista Oliveira, de 40 anos, foi preso após se apresentar aos policiais civis do 2º DP (Distrito Policial) de Americana, na tarde da segunda-feira (27). Ele já tinha mandado de prisão temporária decretado pela Justiça pelo período de 30 dias, após ser apontado como responsável pela morte do autônomo Nilton César da Silva, de 29 anos, com tiro no pescoço, e ainda atirar no braço de um pedreiro de 54 anos, depois de uma discussão em um bar, no Jardim dos Lírios, em Americana, no dia 5 de maio.

A investigação, coordenada pelo delegado Lúcio Antônio Petrocelli, identificou o suspeito e descobriu que ele tinha saído da cidade desde a data do crime. No entanto, na tarde desta segunda, os policiais ficaram sabendo que ele tinha retornado para a cidade, para visitar a namorada.

Caso está sendo investigado pelo 2º DP de Americana; no destaque, a vítima, Nilton César da Silva – Foto: Arquivo / Liberal e Reprodução

Assim que soube que estava sendo procurado pelos agentes, ele acabou ligando para a polícia e se apresentou com o advogado na delegacia.

📲 Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

O motorista foi ouvido por Petrocelli e alegou que atirou para se defender das agressões que alega ter sofrido. Preso, ele foi encaminhado à Cadeia Pública de Sumaré. Nos próximos dias, o delegado vai ouvir outras testemunhas do ocorrido.

Siga o LIBERAL no Instagram e fique por dentro do noticiário de Americana e região!

O crime ocorreu  em um bar, no Jardim dos Lírios. Na ocasião, Silva teria se desentendido com o suspeito, que pegou uma arma e atirou no autônomo. Ele ficou internado em estado grave, com um projetil alojado no pescoço, e faleceu dez dias depois. O pedreiro, que estava próximo à confusão, também acabou atingido por um tiro no braço, mas sobreviveu.

Procurada, a defesa de Elismar não foi encontrada pela reportagem nesta segunda-feira.

Faça parte do Club Class, um clube de vantagens exclusivo para os assinantes. Confira nossos parceiros!

Publicidade