23 de maio de 2022 Atualizado 12:11

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Americana

Festa do Peão de Americana é adiada para 2021

Clube dos Cavaleiros remarcou a 34ª edição para junho do ano que vem e diz que atrações estão mantidas

Por

23 Julho 2020, às 13h41 • Última atualização 23 Julho 2020, às 19h04

O CCA (Clube dos Cavaleiros de Americana) anunciou nesta quinta-feira (23) que a 34ª edição da Festa do Peão de Americana foi adiada para o período de 2 a 13 de junho de 2021. O comunicado foi divulgado na página oficial da festa no Facebook.

Inicialmente marcada para junho deste ano, a festa havia sido adiada para a janela 4 a 13 de setembro. Segundo o presidente do CCA, Beto Lahr, a pandemia do novo coronavírus (Covid-19) forçou o cancelamento.

“Desde o início viemos acompanhando de perto a evolução da pandemia do novo coronavírus. A Festa do Peão de Americana mantém o compromisso de oferecer segurança as famílias e, infelizmente, não tínhamos como mantê-la, não diante de tudo o que vem acontecendo”, afirmou Lahr.

De acordo com as fases do Plano São Paulo, eventos que gerem aglomerações só podem ocorrer depois de 28 dias de estabilidade da região na etapa 4 (verde). Americana ainda está na fase 1 (vermelha) do plano, quando só comércio essencial pode funcionar.

“A gente tinha esperança. O adiamento (para setembro) foi decidido há 120 dias. Infelizmente a coisa complicou. Não tem condição”, disse o presidente.

A expectativa da organização é manter a grade artística que já estava confirmada. Os camarotes comercializados seguem válidos para 2021.

Até o momento, as atrações são: Marília Mendonça, Felipe Araújo,  Maiara & Maraísa, Gusttavo Lima, Xand Avião e Edson & Hudson, Zé Neto & Cristiano, Alok,  Gustavo Mioto, Chitãozinho & Xororó, Luan Santana, Pedro Sampaio, Jorge & Mateus, Dennis DJ e Wesley Safadão.

“Já falei com o empresário e vamos manter as atrações”, garantiu Lahr.

A Festa do Peão de Americana gera mais de seis mil empregos diretos e 15 mil indiretos. O presidente lamenta o impacto econômico que o adiamento que será ocasionado pelo adiamento.

“No palco, são mais de 600 profissionais que ficarão sem o cachê. Ser presidente de uma festa como Americana é saber o quanto ela é importante para o mercado, mas principalmente para as pessoas. É um evento feito por gente, por seres humanos, que contam com esse trabalho”, comentou Lahr.

Podcast Além da Capa
Nem mesmo a regressão de Americana e região para a fase vermelha do Plano São Paulo é capaz de resolver o problema da lotação de ônibus do transporte público em horários de pico. A teoria de que menos gente estaria em circulação não se confirma na prática. Nesse episódio, o editor Bruno Moreira conversa com o repórter Leonardo Oliveira e apresenta reflexos regionais desse assunto.

Publicidade