18 de junho de 2024 Atualizado 18:20

Notícias em Americana e região

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

ELEIÇÕES 2024

Com presença de integrantes do MBL, Rafael Macris anuncia pré-candidatura a vereador em Americana

Evento contou com presenças do ex-deputado estadual Arthur do Val e do deputado federal Kim Kataguiri

Por Gabriel Pitor

09 de junho de 2024, às 20h28

Ex-vereador e participante da eleição a prefeito de Americana em 2020, Rafael Macris (PP) anunciou neste domingo (9) a sua pré-candidatura a uma das cadeiras do Legislativo americanense deste ano. O evento, realizado em um restaurante no Parque Residencial Nardini, reuniu cerca de 200 pessoas e integrantes do MBL (Movimento Brasil Livre), como o ex-deputado estadual Arthur do Val e o atual deputado federal Kim Kataguiri (União Brasil).

Rafael faz parte de uma família tradicional na política local, já que o seu pai, Vanderlei, foi quatro vezes deputado federal e sete vezes deputado estadual, e o seu irmão, Cauê, também é ex-deputado estadual e ex-presidente da Alesp (Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo).

Deputado federal e um dos líderes do MBL, Kim Kataguiri participou do evento – Foto: Gustavo Tomazeli / Divulgação

Mesmo carregando esse legado, Rafael terminou como terceiro colocado nas eleições municipais de 2020, quando se candidatou a chefe do Executivo. Ele recebeu 19.573 votos, atrás do eleito Chico Sardelli (na época do PV, agora do PL), com 40.014, e de Maria Giovana Fortunato, que teve 29.562.

Ao LIBERAL, Rafael reconheceu que a candidatura a vereador, cargo para o qual foi eleito em 2016 e ocupou até 2020, será um “passo atrás”, mas explicou que a decisão foi tomada devido à estratégia de seu grupo político e do MBL.

📲 Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

“Acho que é o momento de ser candidato a vereador. Na última, tentamos para prefeito, vejo que saímos vitoriosos na disputa, porque com 27 a 28 anos ter 20 mil votos na cidade. Foi uma votação histórica em um cenário adverso”, disse.

O pré-candidato ao Legislativo ainda justificou que saiu do PSDB porque o partido “acabou perdendo a mão na comunicação com a sociedade e não se posicionando sobre temas importantes”, afirmando ainda que adversários tentaram barrar a sua entrada em uma nova legenda.

“Tenho certeza que a nossa entrada para a disputa causa muito medo tanto para os vereadores atuais quanto para o pessoal da prefeitura, porque nunca fugi à luta. Infelizmente, hoje, na câmara a gente vê uma base muito grande para o prefeito, não tem muita discussão nos projetos e a gente vai mudar isso aí”, disparou.

Siga o LIBERAL no Instagram e fique por dentro do noticiário de Americana e região!

De acordo com Kataguiri, o objetivo é que Rafael tenha a maior votação da história de Americana e confirmou que o MBL estará junto na campanha.

“Hoje nós temos mais de 40 pré-candidatos a vereador, nas principais cidades, e a nossa perspectiva é eleger a maioria deles para posteriormente se tornarem deputados federais. O Rafa Macris já mostrou ser um quadro de qualidade nacionalmente”, finalizou.

Vanderlei Macris vê “ano decisivo” e fala sobre passagem de bastão

O ex-deputado federal e estadual Vanderlei Macris contou ao LIBERAL que 2024 será “um ano decisivo” para a sua sequência na política.

De acordo com o presidente do PSDB de Americana, caso ele não assuma uma vaga na Câmara dos Deputados em 2025, já que há possibilidade de atuais deputados vencerem eleições municipais e abrirem espaço para suplentes, a tendência é que ele se afaste da política e as atenções se voltem para Rafael.

Vanderlei Macris observa o filho Rafael durante discurso: ex-deputado federal e estadual fala sobre passagem de bastão – Foto: Gabriel Pitor/Liberal

“Para passar o bastão definitivamente, eu dependo de assumir ou não [como deputado federal] em janeiro e se o Rafael vai ser eleito ou não. Se o Rafael vencer e eu não assumir, aí começo a me afastar e vida que segue. O Rafael, neste momento, passa a ser o foco da minha atenção”, ponderou.

Em 2020, Macris recebeu 87.502 votos e ficou como quarto suplente de deputado federal na federação formada por PSDB e Cidadania. Foram eleitos: Alex Manente (Cidadania), Paulo Barbosa (PSDB), Arnaldo Jardim (Cidadania), Vitor Lippi (PSDB) e Carlos Sampaio (na época do PSDB, agora do PSD).

Se algum dos eleitos desistirem, assumem, nesta ordem: Marco Antonio Villa (Cidadania), Eduardo Cury (PSDB), José Serra (PSDB) e Vanderlei Macris. Os suplentes também podem abrir mão de assumir.

Faça parte do Club Class, um clube de vantagens exclusivo para os assinantes. Confira nossos parceiros!

Publicidade