27 de fevereiro de 2024 Atualizado 10:45

8 de Agosto de 2019 Grupo Liberal Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Turismo

Turismo rural

Destinos propícios para um contato mais próximo com a natureza, descanso e sossego

Por Gefferson.Fraga_Ideal HKS

10 de novembro de 2023, às 08h40

Na primavera, as temperaturas são mais amenas e o aumento na umidade tornam o ambiente propício para o florescimento das plantas, deixando ainda mais belas as inúmeras paisagens naturais existentes no país. Isso coloca o período também como um bom momento para uma prática que tem ganhado adeptos no Brasil e no mundo: o turismo rural, cujo objetivo é promover dias de descanso longe da agitação do dia a dia, com vivências mais ligadas ao campo e à natureza.

E de acordo com o Climatempo, a expectativa é que os efeitos do El Niño – aquecimento anormal das águas do Oceano Pacífico e que impacta diretamente o clima na América do Sul – fiquem ainda mais evidentes na nova estação. Ou seja, é possível esperar que os termômetros registrem números mais altos do que nos últimos anos. Por isso, a wemobi, plataforma de viagens rodoviárias, preparou uma lista de cidades onde é possível se conectar a experiências ligadas ao campo e à natureza. Confira:

Pomerode (SC)

Considerada uma das cidades mais influenciadas pela cultura alemã no Brasil, tendo sido colonizada por ex-moradores da Pomerânia, região histórica situada na divisa entre a Polônia e a Alemanha, é conhecida pela preservação de sua arquitetura histórica e por diversas atrações relacionadas ao turismo rural. Pomerode concentra o maior acervo de edificações em enxaimel – uma técnica de construção artesanal com madeiras fixadas com hastes encaixadas, com telhados inclinados, responsáveis por trazerem muito charme – longe das terras alemãs, inclusive há um roteiro chamado Rota do Enxaimel onde há cerca de 50 casas tombadas como patrimônio histórico.

Um pouco mais distante da região central, há diversas fazendas e pousadas que oferecem uma experiência completa com visitas guiadas a produções agrícolas, onde é possível interagir com animais e participar de atividades diárias junto a eles, como colheita de frutas, ordenha de vacas e passeios a cavalo. Também vale o passeio pelas trilhas rurais, especialmente durante a primavera, quando as paisagens estão repletas de flores voltando a desabrochar.

Anápolis (GO)

Apesar de ser considerada uma das maiores cidades do estado de Goiás – a terceira em número de habitantes, atualmente em torno de 398 mil, Anápolis também reserva diversos atrativos para o turismo rural. Começando pelas áreas verdes do município, destaque fica para o Parque Ambiental Ipiranga, inaugurado em 2010. A curiosidade é que foi construído onde antes funcionava uma floricultura municipal, onde foi preservada toda a vegetação já existente, contendo árvores nativas e cinquentenárias. O espaço conta com pistas de ciclismo e caminhada; um mirante com vista para todo o parque; dois lagos com pequenas pontes, pequeno bosque; teatro de arena; área de ginástica para pessoas da 3ª idade; banheiros; quiosques; orquidário; centro de estudos ambientais; lanchonetes e área de lazer para as crianças. Fugindo um pouco da região central, há hotéis fazenda que oferecem imersão aos visitantes, incluindo o cultivo e produção de alimentos artesanais como queijos, frutas, hortaliças e grãos.

Maringá (PR)

Sétima cidade em população no estado do Paraná de acordo com último Censo, Maringá também é uma das mais jovens em fundação. Assim como Anápolis, o município mescla um ambiente urbano muito desenvolvido com propriedades rurais repletas de atrativos para visitantes. Na área central, o destaque fica para o Parque Ingá. Criado nos anos 1970, possui mais de 47 hectares de mata preservada com diversas espécies de plantas nativas, fazendo da primavera um ambiente propício para entrar em contato com elas. Também residem por lá animais da região, como pica-pau-de-cabeça amarela, os saguis, sabiás-laranjeira, pavões e capivaras. A estrutura conta ainda com um lago que possibilita passeios a bordo de pedalinhos e caravelas.

Já as chácaras e fazendas da região estão concentradas, em sua maioria, na cidade de Marialva, que fica a cerca de 20 quilômetros de Maringá. Conhecida como a capital da uva, o pequeno município de pouco mais de 35 mil habitantes transformou sua vocação rural em atrativo turístico. Quem chega até ela já é recebido por um monumento de 20 metros de altura em forma de um cacho de uva. Mas não é só ela quem chama a atenção de quem visita a cidade. A plantação de flores também é destaque, reunindo diversas e variadas espécies, tais como orquídeas, rosas e até cactos. Os turistas também podem conhecer e fazer degustações nas agroindústrias existentes por lá, com destaque, é claro, para a própria uva e as diversas possibilidades de transformação que existem – sucos, doces e compotas – e o maracujá, outro frutífero amplamente cultivado em Marialva.

Campos dos Goytacazes (RJ)

Localizada no interior do estado do Rio de Janeiro, Campos dos Goytacazes é considerada a maior da região. Por isso, assim como as dicas acima, mistura amplo desenvolvimento urbanístico com espaços de contemplação total da natureza, indo desde shoppings centers a fazendas históricas. Falando em contato com o verde, o jardim São Benedito e a Praça Barão do Rio Branco – também conhecida como Jardim do Liceu, ambos na região central, são os dois principais da cidade. O primeiro abriga a sede da Academia Campista de Letras e é frequentado especialmente para quem é fã de praticar esportes ao ar livre. Já o segundo é sinônimo de tranquilidade, atraindo especialmente idosos e jovens que buscam minutos – ou horas – de paz em meio à natureza.

Já partindo em direção ao município de São Fidélis, já é possível se deparar com pousadas e chácaras rurais para experenciar o que há de melhor nesse ambiente, como as tradicionais cavalgadas, trilha na mata, pesca esportiva, entre outros.

Fonte: wemobi, plataforma de viagens rodoviárias

Publicidade