13 de agosto de 2022 Atualizado 17:14

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Pet

Os cuidados para cada fase da vida do pet

Entenda as demandas de cada etapa da vida do seu animalzinho e veja dicas de cuidados a serem adotados em todas elas

Por Stela Pires*

10 de julho de 2022, às 11h43

June, uma maltês, já apresenta problemas de saúde relacionados a idade avançada - Foto: Marcelo Rocha - Liberal.JPG

Os cães e gatos vivem as fases da vida assim como nós, vão da infância à velhice, e, assim como em cada momento da vida humana, é preciso atender às necessidades dos animaizinhos em cada etapa.

As fases da vida já são conhecidas pelos tutores, pela semelhança com as da vida humana. Os pets percorrem por cinco etapas: o neonato, a infância, adolescência, fase adulta e velhice.

Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

O neonato é a fase inicial do nascimento, que acontece até duas semanas depois do nascimento do cachorro, ou até o décimo dia no caso dos gatos, segundo a médica veterinária da Clínica Veterinária Univet, Patrícia Comelato.

Eles atingem a infância e adolescência dos seis aos 18 meses de idade, um período que pode ser de desafiador tanto para os pets quanto para os tutores. “Quando filhotes temos que cuidar, pois eles costumam ter muita energia e curiosidade, então acabam se metendo em encrenca. Comem objetos, são curiosos, arteiros, e pouco obedientes, pois nessa fase começam a descobrir o mundo”, disse Patrícia.

Quando adolescentes o cuidado também é voltado ao comportamento dos animais, que ficam mais desafiadores e destemidos, e é nessa fase que os tutores precisam colocar limites e estabelecer a hierarquia dentro da casa.

A estabilização do comportamento acontece quando atingem a fase adulta, que começa a partir de um ano meio e vai até os sete anos, quando ficam mais calmos, obedientes e estão habituados com a rotina da casa, de acordo com a médica veterinária. E, por fim, a fase da tranquilidade, que é a velhice, na qual eles são mais “dorminhocos”.

Mas os cuidados não são voltados apenas ao comportamento dos pets, mas também às demandas de saúde dos animais. “Em toda e qualquer fase da vida temos que ter cuidados com vacinação, alimentação, vermifugação, e, claro, com o enriquecimento ambiental e atividades físicas periódicas e exercícios mentais para evitar o estresse”, pontuou Patrícia.

Não existem vacinas específicas para cada fase de vida, mas é necessário a aplicação anual da vacina da raiva, que é obrigatória no Brasil. Além dela, há a opção das vacinas múltiplas para cães e gatos, que também devem ser aplicadas anualmente. De acordo com a veterinária, as vacinas são indispensáveis para a saúde dos pets.

As visitas ao veterinário também estão inclusas nos cuidados de cada fase da vida dos cães e gatos. As idas ao médico devem ser periódicas quando bebê – pelo menos uma vez ao mês – devido a primovacinação. Quando adulto, uma vez no ano, e quando o animal for idoso, devem acontecer a cada três a seis meses. “Clínica médica preventiva é sempre o melhor remédio”, finalizou.

AMOR. A publicitária Soraya Ruffo, de 65 anos, não esconde que o segredo para a longevidade da bichana Gata foi o amor. “É você amar o animal vislumbrando nele o seu companheiro”, confidenciou.

A pet viveu 24 anos ao lado de Soraya, que precisou redobrar os cuidados e a atenção no fim da vida da bichana. Gata não tinha problemas de saúde, mas os órgãos começaram a falhar por causa da velhice, e a alimentação, assim como a ingestão de medicamentos, precisava ser feita com o auxílio da tutora.

“O gato é independente, mas quando ele fica idoso, ele fica dependente”, disse. Apesar da bichana já não estar mais presente, os cuidados continuam com os outros animais da casa, que são quatro.

As idosas da casa, as cachorras June, de 15 anos, e Kika, de 12, demandaram a adaptação de rotina e de cuidados depois de atingirem a melhor idade.

As visitas ao veterinário também estão inclusas nos cuidados de cada fase da vida dos cães e gatos – Foto: Marcelo Rocha – Liberal.JPG

June, uma maltês, já apresenta problemas de saúde relacionados a idade avançada, como a artrose, que desgasta as cartilagens das articulações. “Você precisa fazer mastigar, senão acomoda comendo só comida líquida”, disse a tutora.

Os passeios com as cachorras também já não acontecem mais, mas Soraya incentiva as “idosinhas” a caminharem um pouco pelo quintal e a tomar o sol. “Tem que tirar do sofá, colocar aqui fora, tomar sol, comer graminha. Precisa cuidar né, a máquina [organismo das cachorras] não pode parar”, contou.

Por causa das dificuldades de locomoção, a tutora também adaptou alguns pontos da casa, como a sala, que agora tem uma rampa de apoio para as cadelas poderem subir no sofá.

As diferenças de idade são refletidas na gata Sushi e no gato Nino, de oito e três anos de idades, respectivamente. Segundo Soraya, o gato ainda é elétrico, enquanto a bichana é mais na dela, mas, para a tutora, sem dúvida alguma cada fase de vida dos pets tem sua particularidade.

Saiba mais
Doenças mais comuns em cada fase dos pets

  • Filhotes
    Viroses, verminoses, intoxicação alimentar e obstrução intestinal por corpo estranho
  • Adultos
    Grande prevalência de animais com problemas hormonais e sobrepeso
  • Idosos
    Problemas osteoarticulares e cardiopulmonares

Fonte: Patrícia Comelato, médica veterinária

*Estagiária sob supervisão de Valéria Barreira

Publicidade