07 de agosto de 2020 Atualizado 22:17

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Renault

Kwid Outsider: Vale o quanto pesa

Visual aventureiro e bom custo-benefício são as maiores atrações do pequeno Renault

Por Eduardo Rocha / Autopress

07 dez 2019 às 06:30 • Última atualização 07 dez 2019 às 06:39

Quando chegou ao mercado, o Renault Kwid passou por alguns percalços, com recalls e falta de peças. Isso foi há dois anos. Hoje, o subcompacto é o modelo mais vendido da marca francesa e no acumulado do ano ostenta o 4º lugar no ranking dos mais vendidos, com uma média de quase 7 mil unidades mensais.

A versão Outsider é um reflexo direto dessa trajetória, ao mesmo tempo que ajudou a consolidar a performance de mercado do Kwid. A versão é a de topo do carrinho, embora isso não signifique qualquer esboço de requinte.

Foto: Eduardo Rocha / Carta Z Notícias
Kwid Outsider

O modelo tem ar, travas e espelhos elétricos, quatro airbags, central multimídia, vidros elétricos nas portas dianteiras, rodas de liga leve, câmera de ré, computador de bordo, direção elétrica e limpador do vidro traseiro. Este é exatamente o mesmo conteúdo da versão Intense, que era a topo de linha até a chegada da Outsider, em maio.

Os diferenciais da versão aventureira se resumem a protetores laterais, interior com detalhes laranja, rodas pintadas de preto, skis sob os para-choques, proteção lateral e barras no teto.

Foto: Eduardo Rocha / Carta Z Notícias
Kwid Outsider

Ou seja: apenas itens visuais – que não devem ser desprezados, já que o design é uma das três principais razões para a compra de um carro. O Kwid Outsider sai a R$ 45.390, R$ 2.500 a mais que a versão Intense.

O visual aventureiro não recebe qualquer respaldo em outros itens do modelo. Suspensão, rodas e pneus têm exatamente as mesmas dimensões das demais versões. De qualquer forma, o carrinho, que foi vendido como “o SUV dos compactos” – embora seja um subcompacto – tem uma boa altura livre para o solo, de 18 cm. O automóvel já estava preparado para enfrentar os desmandos viários dos prefeitos no Brasil.

Foto: Eduardo Rocha / Carta Z Notícias
Kwid Outsider

A parte mecânica é a mesma para toda a linha. Sob o capô, o Kwid traz o mesmo motor 1.0 SCe de três cilindros e 12 válvulas, que move o Sandero de entrada. Ele é capaz de gerar 66/70 cv e 9,4/9,8 kgfm de torque com gasolina-etanol.

Não é muito, mas o modelo pesa apenas 806 kg, o que resulta em uma relação peso-potência de 11,5 kg/cv. Bom para um carro eminentemente urbano, que promete ser bastante econômico.

Ficha Técnica

Renault Kwid Outsider

MOTOR: 1.0 l, flex

TRANSMISSÃO: manual de cinco marchas

POTÊNCIA: 66/70 cv com gasolina/etanol a 5.500 rpm

TORQUE: 9,4/9,8 kgfm com gasolina/etanol a 4.250 rpm

ACELERAÇÃO de 0 a 100 km/h: 14,7 segundos

VELOCIDADE MÁXIMA: 156 km/h

PNEUS: 165/70 R14

FREIOS: ABS com EBD
diâmetro e curso: 71,0 mm X 84,1 mm

PORTA-MALAS: 290 litros

TANQUE: 38 litros

PESO: 806 kg

SUSPENSÃO: Dianteira do tipo McPherson, triângulos inferiores, amortecedores hidráulicos telescópicos e molas helicoidais. Traseira com eixo de torção com molas helicoidais e amortecedores hidráulicos telescópicos verticais.

CARROCERIA: Hatch subcompacto em monobloco com quatro portas e cinco lugares. Com 3,68 metros de comprimento, 1,58 m de largura, 1,47 m de altura e 2,42 m de distância entre-eixos

PRODUÇÃO: São José dos Pinhais (PR)