26 de maio de 2024 Atualizado 20:10

Notícias em Americana e região

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Pão francês e integral

Benefícios e curiosidades do pão francês integral e branco

Inspirado na receita francesa e transformado em uma forma totalmente brasileira, o alimento é fonte de energia e nutrição

Por Nathalia Luperini - Attuale Comunicação

24 de janeiro de 2024, às 19h53 • Última atualização em 24 de janeiro de 2024, às 19h54

Comer um pãozinho com manteiga no café da manhã é quase uma tradição para milhares de brasileiros. Segundo um levantamento da Associação Brasileira da Indústria de Panificação e Confeitaria (Abip), o pão francês é responsável, em média, por 8,8% do faturamento de uma padaria. No país, há um consumo de 2,3 milhões de toneladas por ano de pão francês, representando 34,39% dos produtos panificados vendidos nacionalmente.

📲 Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

Mas, além de todo o sucesso devido ao sabor e praticidade, os pães também possuem nutrientes importantes para o bom funcionamento do corpo. Seja na versão branca ou integral, eles têm suas próprias características. Por isso, a farinha de trigo Mirella, pertencente ao Grupo Ocrim, traz os benefícios de cada uma e algumas curiosidades sobre o alimento.

O pão francês branco é conhecido por sua textura crocante por fora e miolo macio por dentro. Ele é uma excelente fonte de energia devido aos carboidratos presentes na farinha. Além disso, é uma boa fonte de vitaminas do complexo B, como a niacina e o ácido fólico. Essas vitaminas desempenham um papel importante no metabolismo e na saúde do sistema nervoso.

Já o pão francês integral é uma opção para quem busca um toque a mais de saúde no dia a dia. Isso porque ele é produzido com farinha de trigo integral, o que mantém a casca e o farelo do grão, proporcionando maior quantidade de fibras. Essas fibras atuam de diferentes formas: mantendo a saúde digestiva; mantendo níveis estáveis de açúcar no sangue; promovendo uma sensação de saciedade por mais tempo; auxiliando na redução do risco de doenças cardíacas.

O pão francês integral é uma opção para quem busca um toque a mais de saúde no dia a dia. DivulgaçãoFoto:

Essa variedade também é uma boa fonte de minerais, como ferro, magnésio e selênio, que atuam de diferentes formas no organismo, sendo fundamentais para a saúde como um todo, além de uma variedade de antioxidantes e fitoquímicos, que auxiliam na proteção do corpo contra doenças crônicas.

É mesmo de origem francesa?

Por conta do nome, muitas pessoas podem pensar que o alimento é uma iguaria francesa, mas ele nem sequer existe na França.

No século 19, o pão popular francês era curto, cilíndrico, com miolo duro e a casca dourada – um precursor da baguete. Enquanto isso, no Brasil, o pão comum era com miolo e casca escuros, uma versão tropical do pão italiano.

Porém, na época, a elite brasileira tinha o costume de viajar para Paris e, quando retornavam ao país, descreviam o pão aos padeiros – que, a partir disso, começaram a reproduzir a receita. Mas, apesar dos ingredientes terem continuado os mesmos quando chegaram, o alimento ganhou uma identidade totalmente “verde e amarela”, com alguns diferenciais na preparação e deixando de ser um pão comprido para ter um formato menor e mais redondo.

E essas ‘brasilidades’ não pararam somente na receita. Apesar de ser o mesmo em todo o território nacional, o pão francês recebe outros nomes em diferentes regiões. Confira alguns exemplos:

Bahia e Minas Gerais: pão de sal

Rio Grande do Sul: cacetinho

Ceará: carioquinha

Rio Grande do Norte: pão de água

Pernambuco: pão de Jacó

Publicidade