27 de fevereiro de 2024 Atualizado 09:36

8 de Agosto de 2019 Grupo Liberal Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Pais & Filhos

Postura lúdica ajuda a criar hábitos desde cedo

Diversão e envolvimento durante escovação dos dentes incentivam cuidados com a saúde

Por Isabella Holouka

30 de janeiro de 2023, às 08h01

Paciência e persistência são muito importantes, lembra a especialista - Foto: Adobe Stock

Cuidar da saúde bucal das crianças e ensiná-las sobre a importância da higiene diária da boca e dos dentes é fundamental, mas nem sempre será fácil. Os pequenos podem ter resistência aos cuidados e por isso não são raros os relatos de pais, mães e cuidadores que se queixam nos consultórios odontológicos sobre a dificuldade para convencer os filhos a escovarem os dentes. 

Para a odontopediatra dra Luana Faria, que atende em Americana, uma postura lúdica é o melhor recurso que pode ser utilizado enquanto os pais realizam ou acompanham a tarefa.

“Tentar deixar essa escovação o mais lúdica possível. Alguns artifícios podem ajudar para que a criança tenha mais vontade de participar, como brincadeiras, teatrinho, música, cantar, inventar historinha, escovar o dente do bichinho ou da bonequinha preferida, o adulto escovar os próprios dentes na frente da criança, tudo para que ela queira participar”, orienta.

Paciência e persistência são muito importantes, lembra a especialista, já que as estratégias podem funcionar bem em alguns dias e fracassar em outros, até que os cuidados com a higiene se tornem costumes.

“Escovar os dentes é uma questão de costume, quanto mais a gente faz, mais a criança se acostuma. Até mesmo aquelas que já estão aptas à escovação terão dias em que não irão querer escovar os dentes, assim como não irão querer tomar um banho, trocar uma fralda, arrumar o cabelo. Isso faz parte, mas a persistência e a paciência têm que acontecer”, enfatiza.

📲 Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

Também vale a pena ponderar e apresentar as consequências possíveis quando não se cuida da higiene bucal. Segundo a odontopediatra, com 2 anos e meio as crianças já têm maturidade para compreender quando “contamos sobre um bichinho chamado cárie, que faz buraquinho no dente”, e a informação acaba sendo uma aliada.

“Vemos crianças com total recusa à escovação, mas o que vale mais, uma escovação de 5 minutinhos em casa com a criança que vai acabar chorando e relutando, ou depois ter que levar ela para o consultório, para fazer um tratamento muito mais invasivo, como um canal ou restauração, que leva 40 a 50 minutos e a criança vai passar esse tempo todo chorando se não for sedada?”, reflete.

RECOMENDAÇÕES. A escovação é indicada a partir do nascimento do primeiro dentinho, sempre com escovas macias e creme dental com flúor, um aliado na prevenção de cáries. Três vezes ao dia – pela manhã, depois do almoço e antes de dormir – é o ideal.

A quantidade de creme dental exige atenção: devem ser utilizados o equivalente a um grão de arroz cru para crianças de até 2 anos, um grão de ervilha para crianças de 2 a 4 anos e, daí em diante, um grão de feijão (quantidade indicada até a vida adulta).

“A partir do momento em que há um dentinho do lado do outro, também precisa de fio dental. O mais indicado para as crianças é o fio dental de forquilha, que parece um estilingue, muito mais fácil de usar do que o convencional, que precisa ser enrolado no dedo”, recomenda a odontopediatra.

Incentivar que a criança aprenda a escovar os dentes sozinha é de grande valia para a sua autonomia, mas o cuidado é uma responsabilidade dos pais até mais ou menos 8 anos, segundo a especialista, sendo preciso supervisionar e às vezes refazer.

Publicidade