10 de julho de 2020 Atualizado 22:37

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Futebol

Ibrahimovic marca, mas Milan perde em rodada ofuscada pelo coronavírus na Itália

Por Agência Estado

08 mar 2020 às 13:59 • Última atualização 27 abr 2020 às 12:01

Zlatan Ibrahimovic fez mais um gol pelo Milan após seu retorno ao clube rubro-negro, mas não foi capaz de evitar a derrota por 2 a 1 para o Genoa, em jogo válido pela 26ª rodada do Campeonato Italiano. Mesmo jogando fora de casa, no San Siro, a equipe de Gênova saiu vitoriosa. Os gols do triunfo visitante foram marcados pelo atacante macedônio Goran Pandev e pelo meio-campist Francesco Cassata.

Com a derrota, o Milan estaciona nos 36 pontos e fica no sétimo posto da tabela, a três do Napoli, que fecha a zona de classificação à Liga Europa no sexto lugar. O último virtual classificado à Liga dos Campeões é a quarta colocada Atalanta, que soma 48.

Já o Genoa respirou na luta contra o rebaixamento e chegou aos 25 pontos, na 17ª posição, uma à frente da zona da degola. O 18º é o Lecce, que também soma 25, sete a mais do que o SPAL. O lanterna do torneio é o Brescia, que tem apenas 16 pontos.

A 26ª rodada também marcou o retorno do futebol italiano à ativa após o adiamento de algumas partidas no fim de fevereiro. Entretanto, a ameaça do Covid-19 voltou a ser protagonista neste domingo.

Na partida entre Parma e SPAL, vencida pelo time de Ferrara por 1 a 0, houve um atraso de 75 minutos para o apito inicial no vazio Estádio Ennio Tardini. Isso porque os responsáveis pelo jogo consideraram um apelo do Ministro do Esporte da Itália, Vincenzo Spadafora, para que o confronto não fosse adiante.

A manifestação de Spadafora foi em apoio a um pedido do presidente da associação italiana de jogadores de futebol, Damiano Tommasi, no sentido de evitar a exposição dos atletas em meio ao surto mundial do coronavírus.

“Não faz sentido agora, quando estamos solicitando enormes sacrifícios dos nossos cidadãos, a fim de impedir a propagação do contágio, pôr em risco a saúde dos jogadores, árbitros, treinadores e torcedores”, disse o ministro.

“Eu acho que Gabriele Gravina (o presidente da federação de futebol) deveria considerar a paralisação antes de termos o primeiro caso de contágio para assumir essa responsabilidade séria”, completou Spadafora.

A manifestação do ministro não foi a única em favor da suspensão das partidas no país. O atacante Mario Balotelli, do Brescia, também se manifestou em prol da paralisação, citando os riscos da exposição à ameaça do Covid-19.

A Itália anunciou uma ampla quarentena no início deste domingo para suas regiões do norte do país, restringindo deslocamentos de um quarto da população em uma tentativa de interromper a marcha do coronavírus pela Europa.

Pouco depois da meia-noite, o primeiro-ministro italiano Giuseppe Conte assinou um decreto que afeta 16 milhões de pessoas no norte do país, incluindo a região da Lombardia e pelo menos 14 províncias nas regiões vizinhas. As medidas extraordinárias permanecerão em vigor até 3 de abril.

A Itália registrou no sábado seu maior aumento diário de casos de coronavírus desde o início do surto em 21 de fevereiro. O número de pessoas infectadas aumentou 1.247 nas 24 horas anteriores, elevando o total para 5.883. O número de mortos aumentou para 233.

Apesar da preocupação pelo Covid-19, Sampdoria e Verona também foram a campo neste domingo e o time de Gênova levou a melhor, vencendo por 2 a 1. Fabio Quagliarella fez os dois gols do time da casa, enquanto Emil Audero descontou, contra.