20 de outubro de 2020 Atualizado 22:09

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Segunda Divisão

Rio Branco e União vão encarar maratona de jogos na Bezinha

Times terão sequência de jogos em curto prazo na competição, com oito duelos em um mês durante a primeira fase

Por Rodrigo Alonso

28 ago 2020 às 08:32 • Última atualização 28 ago 2020 às 11:25

Rio Branco e União Barbarense vão enfrentar uma maratona de jogos no Campeonato Paulista Sub-23 Segunda Divisão, a popular Bezinha, com oito compromissos em um mês. Em conselho técnico realizado nesta quinta-feira por videoconferência, os clubes conheceram o formato da competição, que terá 35 equipes e duas rodadas por semana.

As duas equipes participaram do conselho técnico realizado nesta quinta – Foto: João Carlos Nascimento / LIBERAL

Na primeira fase, haverá sete grupos com cinco times cada, segundo as diretorias de Rio Branco e União. As equipes vão se enfrentar dentro da chave em turno e returno, em um total de oito rodadas.

Depois, os dois primeiros de cada grupo e os dois melhores terceiros colocados avançam para as oitavas de final. Todas as fases do mata-mata terão partidas de ida e volta.

Equivalente à quarta divisão estadual, o torneio deve começar em 18 de outubro e tem final previsto para 16 de dezembro. Todos os confrontos serão transmitidos em vídeo, por meio da plataforma MyCujoo.

Dos 42 clubes que se inscreveram para a Bezinha antes da pandemia, sete desistiram da disputa: Santacruzense, Taquaritinga, São Carlos, Jaguariúna, Mogi Mirim, Joseense e Taboão da Serra.

Antes do conselho técnico, a FPF (Federação Paulista de Futebol) havia dito que iria fornecer duas testagens de Covid-19 para os clubes, sendo uma antes do início dos treinamentos e outra às vésperas da abertura do campeonato.

Porém, na reunião desta quinta, a federação se comprometeu a custear mais duas baterias de testes na primeira fase. Nesse sentido, houve um alívio para as equipes, que, até então, teriam de bancar testagens semanais durante toda a competição.

Em contrapartida, a federação sinalizou que não vai repassar cota para os clubes, de acordo com Eder Duarte, vice-presidente de futebol do Tigre. Para ele, a ausência desse pagamento dificultará a montagem dos elencos.

“Ela [FPF] disse que, como ela vai ter um investimento em testagem, a princípio não vai ter cota. Ou seja, deixou todo mundo se inscrever, deixou por último a questão da cota e, no final, veio com essa surpresa que desagradou todo mundo”, disse.

A FPF comunicou que vai pedir autorização ao Centro de Contingência do Coronavírus do governo estadual para os clubes iniciarem em 8 de setembro os testes de Covid-19, clínicos e físicos, além das avaliações fisiológicas.

A ideia também é obter liberação para que as equipes retomem os treinamentos a partir do dia 14 do mesmo mês.

O diretor de futebol do União, Clayton Vieira, elogiou as medidas impostas pela FPF para prevenção contra o novo coronavírus.

“A federação está procurando fazer um campeonato muito profissional, com um protocolo muito rígido, praticamente idêntico aos protocolos das séries A1, A2 e A3. Isso dá credibilidade para a competição”, afirmou.

CLUBES INSCRITOS

Manthiqueira, América, Amparo, Andradina, Francana, Internacional de Bebedouro, Flamengo, Itararé, Guarulhos, Araçatuba, Bandeirante, Barcelona, Brasilis, Assisense, Atlético Mogi, Elosport, XV de Jaú, SKA Brasil (antigo Osasco), Sãocarlense, Mauaense, Grêmio Prudente, Independente, Jabaquara, Mauá, Osvaldo Cruz, Rio Branco, São José, Itapirense, Matonense, Tanabi, Tupã, União Barbarense, União Mogi, Suzano e Vocem.

Publicidade