25 de junho de 2024 Atualizado 08:12

Notícias em Americana e região

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

CAMPEÃO EM 77

Ex-zagueiro do Corinthians, Ademir Gonçalves morre em Santa Bárbara aos 75 anos

Revelado pelo União Barbarense, onde começou e encerrou a carreira, defensor esteve em campo em título emblemático do Timão

Por Bruno Moreira

23 de julho de 2022, às 10h45 • Última atualização em 23 de julho de 2022, às 14h19

O ex-zagueiro Ademir Gonçalves morreu na noite desta sexta-feira (22), aos 75 anos, em Santa Bárbara d’Oeste, sua terra natal. Em sua trajetória nos gramados, ficou marcado pelo emblemático título paulista com o Corinthians em 1977, conquista que encerrou um jejum de 23 anos para o time do Parque São Jorge.

Ademir teve um mal súbito, de acordo com familiares. O sepultamento ocorrerá neste sábado (23), às 16 horas, saindo do Velório Berto Lira em direção ao Cemitério Campo da Ressureição.

A esposa de Ademir, Elizabete Aparecida Bagnoli Gonçalves, faleceu cerca de 12 horas depois do marido ao passar mal no velório. A Prefeitura de Santa Bárbara d’Oeste manifestou pesar pelo falecimento de ambos. Eles deixam os filhos Bruno e Gustavo Bagnoli Gonçalves, ex-vereador em Santa Bárbara.

Ademir recebeu o LIBERAL para uma entrevista em 2017 – Foto: Arquivo / LIBERAL

Nascido em 19 de novembro de 1946, Ademir José Gonçalves deu início à carreira como atleta nas categorias de base do União Barbarense – o clube decretou luto de três dias. Na equipe principal, fez parte do primeiro título do Leão da 13 no profissionalismo, a Divisão Intermediária de 1967, hoje equivalente à Série A3.

Foi para o XV de Piracicaba no final da década de 1960 e, de lá, chegou ao Corinthians em 1972, onde ficou até 1978, com 215 partidas disputadas, incluindo um empréstimo ao Guarani neste período. Jogou ainda por Pinheiros – atual Paraná Clube – e São José, antes de encerrar a carreira no União Barbarense em 1984.

📲 Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

O barbarense está eternizado na escalação do Corinthians formada por Tobias; Zé Maria, Moisés, Ademir e Wladimir; Ruço, Basílio e Luciano; Vaguinho, Geraldão e Romeu. Foi com essa formação que o Timão fez a 1 a 0 sobre a Ponte Preta em 13 de outubro de 1977 e levantou o título paulista daquele ano, que faz parte da galeria de grandes conquistas do clube.

Em 2017, o LIBERAL conversou com Ademir para uma reportagem sobre a decisão do Campeonato Paulista daquela temporada, que voltava a colocar Corinthians e Ponte Preta frente a frente depois de 40 anos – o Timão foi campeão novamente.

“O fato é tão marcante que 40 anos depois estão fazendo reportagem sobre isso. Foi algo indescritível, a torcida corintiana já estava perdendo as esperanças, porque estava completando o 23º ano sem um título de expressão. Isso teve uma marca muito profunda”, disse à reportagem na época.

Depois de deixar os gramados, Ademir seguiu sua vida em Santa Bárbara d’Oeste, onde, entre outras atividades, foi secretário municipal de Esportes e comentarista da Rádio Luzes da Ribalta.

Publicidade