29 de setembro de 2020 Atualizado 17:47

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

SEGUNDA DIVISÃO

RB e União aguardam protocolos para confirmar presença na Bezinha

Dirigentes preveem custos extras com as medidas preventivas contra Covid-19; participação deve ser definida até 21 de agosto

Por Rodrigo Alonso

12 ago 2020 às 08:06 • Última atualização 12 ago 2020 às 09:41

Rio Branco e União Barbarense, por meio dos respectivos departamentos de futebol, informaram nesta terça-feira que só vão confirmar participação no Campeonato Paulista Sub-23 Segunda Divisão após conhecerem os protocolos.

“Eu seria muito irresponsável em dizer que o União vai participar da competição sem saber o que vai vir pela frente, sem saber o que vai ser exigido nessa questão médica”, disse o diretor de futebol do Leão da 13, Clayton Vieira. Ele acredita que as medidas preventivas vão gerar um gasto extra.

Além das testagens de Covid-19, os clubes precisarão garantir a presença de um médico nos treinamentos, o que também terá um custo, de acordo com o vice-presidente de futebol do Tigre, Eder Duarte.

Médicos das equipes vão se reunir com a FPF na terça (18) – Foto: João Carlos Nascimento / O Liberal

As equipes devem confirmar participação até 21 de agosto, três dias após uma reunião entre a Comissão Médica da FPF e os médicos dos times. O objetivo do encontro é elaborar os protocolos de readaptação física e de retomada gradual dos treinamentos.

Eder destacou que existe um prazo de apenas três dias entre essas duas datas. “É uma decisão de muita responsabilidade e, querendo ou não, perigo, até porque envolve vidas”, afirmou.

Nesta terça, depois de uma reunião com os clubes, a federação divulgou que pretende iniciar a Segunda Divisão, conhecida popularmente como Bezinha, em 18 de outubro. A definição da data, porém, ainda depende de autorização do governo estadual.

Podcast Além da Capa
Americana e região avançaram à fase amarela do Plano São Paulo pela primeira vez. Esse episódio do “Além da Capa” dá o tom do contexto local diante da etapa mais flexível vivida até agora desde o início da quarentena provocada pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

Publicidade