02 de março de 2021 Atualizado 21:07

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

CONTRIBUIÇÃO

Americanense é um dos responsáveis por acesso inédito do Cuiabá à Série A

Titular da equipe mato-grossense, Rafael Gava soma seis gols na 2ª divisão; clube garantiu vaga com antecedência

Por Rodrigo Alonso

25 jan 2021 às 17:22 • Última atualização 25 jan 2021 às 18:27

O americanense Rafael Gava foi um dos responsáveis por levar o Cuiabá, de forma inédita, à elite do Campeonato Brasileiro. Titular da equipe, o meia soma seis gols na Série B desta temporada.

O clube garantiu o acesso na última sexta-feira (22), quando CSA e Brasil de Pelotas empataram em 1 a 1, em Alagoas. Com esse resultado, o Cuiabá, que aparece em terceiro lugar na classificação, não poderia mais ser ultrapassado pelo quinto colocado CSA.

Quando criança, atleta jogava na escolinha Camisa 10, em Americana – Foto: Divulgação / Cuiabá EC

O time mato-grossense se despede da Série B na próxima sexta-feira, quando visita o CRB, às 21h30, em jogo válido pela última rodada da competição.

Até agora, o Cuiabá soma 61 pontos, com uma campanha de 17 vitórias, dez empates e dez derrotas. Gava é um dos vice-artilheiros da equipe, atrás apenas do atacante Elton, que tem nove gols.

O americanense de 27 anos construiu carreira, principalmente, no Rio Grande do Sul, onde passou por Caxias, Brasil de Pelotas, Lajeadense e Internacional. Também passou por Londrina-PR e ASA-AL. Fora do País, ele atuou em Portugal, pelo Paços de Ferreira.

Em Americana, Gava jogava na escolinha Camisa 10, com o técnico Odair Batistela Junior, que hoje trabalha como coordenador técnico da base do Atlético-MG.

“É uma alegria muito grande ver um menino que chegou aos 4 anos junto com a gente atingir esse nível de qualidade. Ele foi até um dos líderes da equipe que conseguiu esse acesso. Então, para a escola, para mim, é uma satisfação muito grande”, disse Batistela Junior.

Podcast Além da Capa
São 11 novos vereadores em Americana a partir deste ano na comparação com a legislatura que terminou em 2020. Falamos sobre o desenho que se apresenta na atuação dos parlamentares e a relação com a pandemia da Covid-19 nesse contexto.

Publicidade