24 de fevereiro de 2024 Atualizado 20:17

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

LIBERAL, 70

Nova geração mantém os ideais de fundador

Netos de Jessyr Bianco contam relação com o LIBERAL e admiração pela atuação do avô

Por Marina Zanaki

01 de junho de 2022, às 10h08

A terceira geração de membros da família de Jessyr Bianco que trabalha no jornal LIBERAL se dedica a manter os ideais do fundador. Compromisso com a verdade e responsabilidade com a cidade norteiam a atuação do trio, formado pelo jornalista Luciano Bianco Giuliani, pelo diagramador Thomaz Fortunato Neto e pelo assistente de TI Lucas Medon Bianco.

O envolvimento dos netos com o jornal teve início ainda na infância, quando eram recrutados para ajudar a família no encarte quando havia alguma edição mais extensa ou algum suplemento de última hora. A tradicional Cantata do LIBERAL também era anunciada pelos netos, que iam de casa em casa entregando panfletos que convidavam para o evento.

“É uma coisa que meu avô fazia. Circulava por todos os setores, colocando a mão em cada etapa da produção onde precisava de uma mão extra”, conta Luciano.

Luciano Bianco, editor de conteúdo do LIBERAL – Foto: Claudeci Junior / O Liberal

Mas as atividades no jornal eram brincadeiras para os meninos. Lucas lembra que ele e o irmão tinham que acompanhar a mãe, Luciana Bianco, quando ocorriam problemas na oficina à noite ou até de madrugada. “Vínhamos junto para não ficarmos sozinho em casa, e ficávamos brincando nas bobinas de papel”, recorda.

O envolvimento profissional foi diferente para cada primo. Thomaz ingressou em 2009 na antiga Ameriform, de serviços gráficos, fazendo anúncios, soltando fotolito e chapas para gráficas. De lá, passou para a diagramação do LIBERAL, onde permanece até hoje, totalizando 13 anos de casa.

Já Luciano começou a trabalhar no jornal quando tinha apenas 13 anos, vendendo anúncios em um balcão externo no Centro de Americana. Aos 19 anos, foi para o balcão na sede do jornal, onde permaneceu até se formar na faculdade de jornalismo, em 2009. Ele então migrou para a Redação, onde já passou por todas as editorias e hoje trabalha como editor de conteúdo.

Luciano lamenta não ter trabalhado diretamente com o avô, mas conta que as histórias que ouviu da atuação de Jessyr motivaram sua escolha profissional e norteiam seus passos na Redação.

“O jornal nasceu de um sonho dele de poder dar voz aos moradores, resolver problemas dos munícipes, de ajudar da forma que dava. E não só com cobranças através de reclamações, como também com os editoriais dele, que muitas vezes definiam o rumo da política local e ajudavam em grandes decisões”, conta Luciano.

“Crescer ouvindo suas histórias foi o que me motivou a fazer jornalismo. Não penso muito em como é dar continuidade ao legado dele, é muito pesado. Vejo mais como manter os ideais e seguir seus passos. Manter o jornal como uma peça importante para o bem-estar da região. Tentar chegar perto do que ele foi”, declarou Luciano.

ADMIRAÇÃO. Quando Lucas fala sobre a relação com o LIBERAL, fica clara a admiração que sente pelo avô e pelo impacto que o trabalho dele teve sobre a sociedade.  

“Além do carinho nostálgico que sinto pelo jornal, eu o vejo como uma personificação do meu avô. Abandonar os princípios do jornal, para mim, significa negar todos os sonhos que ele tinha. Por isso, eu me preocupo com o LIBERAL como me preocupo com um membro da minha família. Assim como influenciou na história da cidade, o LIBERAL influenciou e moldou a forma como me comporto hoje”, acredita Lucas.

Lucas Medon Bianco, assistente de TI no LIBERAL – Foto: Marcelo Rocha / O Liberal

Ele se envolveu profissionalmente com o jornal em 2021, quando cobriu as férias do responsável pelo almoxarifado. Iniciando uma carreira na área da tecnologia, ele assumiu mais algumas tarefas no jornal e hoje tem um escopo amplo de atividades, atuando como assistente de TI.

“No final do dia, o que eu sinto é muito orgulho e sorte de ter tido o privilégio de ter convivido com uma pessoa como ele. De forma resumida, hoje eu me conformo com o fato de que nunca vou chegar aos pés do meu avô, mas só de tentar, eu já me torno uma pessoa melhor”, declarou Lucas.

Publicidade