07 de agosto de 2022 Atualizado 18:55

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

BOAS HISTÓRIAS

Recuperado das drogas, homem acolhido em Americana recomeça com a arte

Aos 46 anos, Marcelo Diniz Rodrigues retoma a prática de desenho realista e volta a sonhar com o mercado de trabalho

Por Isabella Holouka

05 de agosto de 2021, às 07h30 • Última atualização em 05 de agosto de 2021, às 12h15

Um talento que chama a atenção e representa o início de uma nova vida. Com lápis grafite e papel, Marcelo Diniz Rodrigues, de 46 anos, começa a traçar seus próximos passos após seis anos em situação de rua e dependência de drogas. Abrigado pela Associação Vinde à Luz e recuperado do vício, ele tem auxiliado os profissionais na manutenção do abrigo temporário montado na Fidam.

Na Associação Vinde à Luz há três meses, Marcelo afirma ter parado o uso de drogas há quatro, e voltou a desenhar – Foto: Ernesto Rodrigues / O Liberal

Nascido em Mogi Guaçu, Marcelo conta que o seu pior momento de adicção foi na capital paulista; ele foi conhecer o centro de São Paulo, a área chamada de “cracolândia”, por curiosidade, com um amigo, e viveu por três meses a realidade do local. Depois, em Campinas, fez amizade em um albergue e soube da associação – que atua desde 2012 no acolhimento para pessoas em situação de rua, de extrema pobreza e vulnerabilidade social.

Na Associação Vinde à Luz há três meses, ele afirma ter parado o uso de drogas há quatro. Conta sua trajetória com serenidade, e comemora o apoio recebido para voltar ao desenho.

“Eu sempre usei substância na adolescência. Minha família, graças a Deus, sempre me deu tudo o que podia, tive uma mãe excelente, um pai também, que era meu grande amigo. Mas eu era curioso por experimentar, entrar nesse mundo e viver isso, e acabei me afundando. Quando eu me dei conta eu já estava em situação de rua, envolvido com a substância, e não conseguia parar. Então fui perdendo amigos, e vivi a história que todo usuário tem”, diz.

Marcelo desenha desde a infância, nunca fez um curso e tem tomado ciência do seu dom através da grande quantidade de elogios conquistados no abrigo na Fidam. Depois de mais de dez anos sem pegar em um lápis, ele usou o que estava ao alcance, uma caneta Bic, e começou os desenhos “para ocupar a mente, acalmar, desestressar”, dividindo seu tempo na Associação entre a arte e a leitura.

O trabalho impressionante de Marcelo chamou a atenção da equipe da Associação Vinde à Luz, especialmente da assistente social Luciane Pasqualino, que providenciou materiais para que ele pudesse continuar no desenho e melhorar a técnica.

? Histórias de vida que deixam nosso coração repleto de esperança! ??O Marcelo Diniz Rodrigues esteve seis anos em…

Posted by Prefeitura de Americana on Monday, August 2, 2021

“Eu comecei recebendo encomendas de retratos realistas, e fui fazendo. Depois aproveitei o tempo na Associação, me tratando e recuperando. Gosto muito de rock, já fui vocalista em uma banda em Mogi Guaçu, e tive a ideia desenhar as lendas do rock. É uma forma de homenageá-los e fazer aquilo que eu gosto, unindo a música e a arte”, relata ele, que já fez Elvis Presley, Janis Joplin, Amy Winehouse e John Lennon, desenhos que estão expostos no abrigo temporário da Fidam.

Os próximos serão Lemmy Kilmister, Kurt Cobain e Jimi Hendrix. Usando técnicas de pontilhismo e com um cuidado impressionante com os detalhes, valorizando luz e sombra, Marcelo leva pelo menos três horas para fazer um desenho no tamanho A4, e precisa de um dia inteiro para concluir os que são feitos em A3. Vende os desenhos maiores por R$ 150, e os menores por R$ 80. Encomendas costumam ter um preço combinado entre ambas as partes.

“Graças a Deus e a ajuda dos amigos, o incentivo, eu estou voltando para fazer minha arte. Recebo encomendas e quero voltar ao mercado de trabalho, retomar a minha vida, correr atrás dos meus sonhos e objetivos. Eu voltei a sonhar e acreditar que eu posso conseguir e mudar de vida”, comemora.

Para comprar desenhos de Marcelo, ou encomendar um retrato realista (quase sempre baseado em foto), o contato deve ser feito através da Associação Vinde à Luz, pelo telefone (19) 2216-0260. Parceira da Prefeitura de Americana, a entidade está instalada na Rua Pará, no bairro Monte Carlo, na região da Praia Azul.

Publicidade