21 de setembro de 2021 Atualizado 10:55

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

BOAS HISTÓRIAS

Recuperado das drogas, homem acolhido em Americana recomeça com a arte

Aos 46 anos, Marcelo Diniz Rodrigues retoma a prática de desenho realista e volta a sonhar com o mercado de trabalho

Por Isabella Holouka

05 ago 2021 às 07:30 • Última atualização 05 ago 2021 às 12:15

Um talento que chama a atenção e representa o início de uma nova vida. Com lápis grafite e papel, Marcelo Diniz Rodrigues, de 46 anos, começa a traçar seus próximos passos após seis anos em situação de rua e dependência de drogas. Abrigado pela Associação Vinde à Luz e recuperado do vício, ele tem auxiliado os profissionais na manutenção do abrigo temporário montado na Fidam.

Na Associação Vinde à Luz há três meses, Marcelo afirma ter parado o uso de drogas há quatro, e voltou a desenhar – Foto: Ernesto Rodrigues / O Liberal

Nascido em Mogi Guaçu, Marcelo conta que o seu pior momento de adicção foi na capital paulista; ele foi conhecer o centro de São Paulo, a área chamada de “cracolândia”, por curiosidade, com um amigo, e viveu por três meses a realidade do local. Depois, em Campinas, fez amizade em um albergue e soube da associação – que atua desde 2012 no acolhimento para pessoas em situação de rua, de extrema pobreza e vulnerabilidade social.

Na Associação Vinde à Luz há três meses, ele afirma ter parado o uso de drogas há quatro. Conta sua trajetória com serenidade, e comemora o apoio recebido para voltar ao desenho.

“Eu sempre usei substância na adolescência. Minha família, graças a Deus, sempre me deu tudo o que podia, tive uma mãe excelente, um pai também, que era meu grande amigo. Mas eu era curioso por experimentar, entrar nesse mundo e viver isso, e acabei me afundando. Quando eu me dei conta eu já estava em situação de rua, envolvido com a substância, e não conseguia parar. Então fui perdendo amigos, e vivi a história que todo usuário tem”, diz.

Marcelo desenha desde a infância, nunca fez um curso e tem tomado ciência do seu dom através da grande quantidade de elogios conquistados no abrigo na Fidam. Depois de mais de dez anos sem pegar em um lápis, ele usou o que estava ao alcance, uma caneta Bic, e começou os desenhos “para ocupar a mente, acalmar, desestressar”, dividindo seu tempo na Associação entre a arte e a leitura.

O trabalho impressionante de Marcelo chamou a atenção da equipe da Associação Vinde à Luz, especialmente da assistente social Luciane Pasqualino, que providenciou materiais para que ele pudesse continuar no desenho e melhorar a técnica.

Histórias de vida que deixam nosso coração repleto de esperança! O Marcelo Diniz Rodrigues esteve seis anos em…

Posted by Prefeitura de Americana on Monday, August 2, 2021

“Eu comecei recebendo encomendas de retratos realistas, e fui fazendo. Depois aproveitei o tempo na Associação, me tratando e recuperando. Gosto muito de rock, já fui vocalista em uma banda em Mogi Guaçu, e tive a ideia desenhar as lendas do rock. É uma forma de homenageá-los e fazer aquilo que eu gosto, unindo a música e a arte”, relata ele, que já fez Elvis Presley, Janis Joplin, Amy Winehouse e John Lennon, desenhos que estão expostos no abrigo temporário da Fidam.

Os próximos serão Lemmy Kilmister, Kurt Cobain e Jimi Hendrix. Usando técnicas de pontilhismo e com um cuidado impressionante com os detalhes, valorizando luz e sombra, Marcelo leva pelo menos três horas para fazer um desenho no tamanho A4, e precisa de um dia inteiro para concluir os que são feitos em A3. Vende os desenhos maiores por R$ 150, e os menores por R$ 80. Encomendas costumam ter um preço combinado entre ambas as partes.

“Graças a Deus e a ajuda dos amigos, o incentivo, eu estou voltando para fazer minha arte. Recebo encomendas e quero voltar ao mercado de trabalho, retomar a minha vida, correr atrás dos meus sonhos e objetivos. Eu voltei a sonhar e acreditar que eu posso conseguir e mudar de vida”, comemora.

Para comprar desenhos de Marcelo, ou encomendar um retrato realista (quase sempre baseado em foto), o contato deve ser feito através da Associação Vinde à Luz, pelo telefone (19) 2216-0260. Parceira da Prefeitura de Americana, a entidade está instalada na Rua Pará, no bairro Monte Carlo, na região da Praia Azul.

Publicidade