27 de maio de 2022 Atualizado 11:13

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Novo formato

Pela primeira vez no Manoel Lyra, Via Crucis investe em detalhes para encantar público

Agora no espaço intimista do teatro, tradicional espetáculo contará com figurino, cenografia e iluminação mais rico em detalhes

Por Marina Zanaki

25 Janeiro 2022, às 08h09 • Última atualização 25 Janeiro 2022, às 08h10

O Espetáculo Via Crucis retorna em 2022 se apresentando pela primeira vez no Teatro Municipal Manoel Lyra. Tradicional na Usina Santa Bárbara, a montagem mudou de endereço por conta da pandemia e passa por adaptações. Com isso, o Via Crucis passa de um espetáculo grandioso para uma apresentação rica em detalhes.

Diretor artístico do espetáculo desde 2013, Otávio Delaneza contou que a apresentação mais próxima dos olhos do público vai possibilitar um detalhamento maior do figurino, cenografia, iluminação e até interpretação.

Atores ensaiam no palco do Teatro Manoel Lyra para a produção deste ano – Foto: Prefeitura de Santa Bárbara / Divulgação

“Estamos em um espaço mais íntimo, dentro da caixa preta do teatro. Como diretor, tenho mais familiaridade com essa estrutura, que possibilita recursos que não eram possíveis por estar em espaço aberto. Vai ser reduzido em sua grandiosidade, mas muito potente em seu contexto”, defende Otávio.

A duração do espetáculo também será menor. O épico que dura de duas a três horas será limitado a, no máximo, uma hora e meia. A mudança tem como objetivo evitar que as pessoas passem muito tempo confinadas em um espaço fechado.

Por conta disso, o espetáculo teve que ser condensado. O texto de Denis Espanhol foi criado para a montagem de 2020, que foi cancelada pela pandemia. Agora, ele será retomado com mais dinamismo.

O roteiro parte do Livro do Apocalipse e faz uma contextualização com os tempos atuais. João de Pátmos foi exilado por ser cristão, e começa a contar a história de Jesus para outros exilados que vivem na Ilha de Pátmos. É a partir dessa narrativa que o espetáculo apresenta o nascimento, morte e ressurreição de Cristo.

Redução

A escolha pelo Teatro Municipal se deu pela possibilidade de maior controle do público, evitando aglomerações, promovendo distanciamento e controlando o uso de máscaras. A explicação é de Lays Ramires, coordenadora do espetáculo Via Crucis desde 2014.

Com a redução da capacidade de público, o número de dias se ampliou. O espetáculo se apresenta de 9 a 17 de abril. Além disso, haverá transmissão on-line nas sextas e sábados para ampliar o acesso.

“Faremos uma transmissão bacana, em vários ângulos, o que é um desafio. Teremos ensaios específicos para essas apresentações, com posicionamento de câmera, para se ter um bom aproveitamento em casa”, explicou Lays.

“Nosso desafio é fazer que a tradição se mantenha viva. Sabemos que será diferente, mas existem outras possibilidades que serão muito bem aproveitadas”, finalizou a coordenadora.

Inscrições

O elenco será reduzido pela metade esse ano, com no máximo 60 atores. O espetáculo segue com vagas abertas para os interessados. Basta se inscrever no www.culturasbo.com/espetaculoviacrucis ou comparecer a um dos ensaios no teatro.

Os encontros são aos domingos, das 9h às 13h, e às segundas, quartas e sextas-feiras, das 19h às 21h30. “Pode participar do encontro e se gostar continua. As portas estão sempre abertas”, convidou Otávio.

Todos os inscritos participam de alguma forma da montagem, seja no elenco principal, de apoio ou na técnica. “É a oportunidade para pessoas que querem ter uma vivência artística em seu histórico de vida. Um charme do Via Crucis é abarcar todo mundo. É uma oportunidade grandiosa de ter contato com a arte”, definiu o diretor.

Publicidade