20 de maio de 2022 Atualizado 11:44

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Literatura

Em versos, livro reflete sobre sociedade e relação com a natureza

“Iô”, da autora de Sumaré Camila Lourenço, tem como personagem principal uma mulher independente

Por Isabella Holouka

21 Maio 2021, às 07h10

Com versos fluidos e sonoros, o novo livro da sumareense Camila Lourenço, “Iô” fala sobre contrastes entre a vida no campo e nas cidades em um futuro utópico, permeando temas como a vivência em sociedade, a relação espiritual entre a humanidade e a natureza, e a independência feminina.

Moradora de Americana, a autora de 29 anos é formada em Letras e conta que a história lhe ocorreu no tempo em que passava no transporte público, entre idas e vindas para trabalhar e estudar. Ela resolveu reunir os versos para transformá-los em livro em 2019, e também é responsável pelas ilustrações.

Cerca de um mês após a publicação pela Editora Penalux, sob o selo Auroras, Camila comemora a receptividade do público para com os temas abordados no livro.

Personagem criada por Camila tem nome inspirado na Vila Yolanda Costa e Silva, em Sumaré – Foto: Ernesto Rodrigues / O Liberal

Iô é uma mulher independente, e até mesmo selvagem, segundo a autora, que vive em uma eco-vila sustentável, em um período em que as cidades estão degradadas, sem recursos e imersas em pobreza.

Quando o local em que ela vive recebe visitas de moradores de uma área urbana, ela se apaixona por um deles e resolve abandonar seu modo de vida para seguir o companheiro.

“Mesmo a família e a deusa-mãe, que é uma divindade e personagem, não aprovando, ela vai mesmo assim. E começa a ver como é diferente a vida na cidade, da vida que ela levava. Conhece outras facetas do ser humano, que ela nem imaginava que existiam”, releva a autora.

A partir deste momento, os versos refletem sobre a mudança, sobre o relacionamento, a sociedade e a natureza de Iô. “Por mais que ela faça de tudo para proteger as pessoas que ama, ela não vai deixar de seguir seus próprios desejos por conta disso”, comenta Camila.

“Iô, de Iolanda, vem do bairro em Sumaré, chamado Vila Yolanda, onde eu cresci. Eu sempre pensei em criar uma personagem com esse nome e casou muito bem com a personalidade dela”, acrescenta.

Apesar da ausência de rimas e da construção livre, a autora destaca a sonoridade dos versos, que permitem uma leitura fluida, rápida e leve. Já as ilustrações foram feitas com técnicas de giz pastel e aquarela.

O livro “Iô” pode ser adquirido diretamente no site da Editora Penalux.

Publicidade