01 de março de 2021 Atualizado 23:05

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Sumaré

Sumaré vistoria mais de 6 mil residências em janeiro contra a dengue

Vigilância pede o apoio da população no combate ao mosquito vetor da doença; larvas foram encontradas em 101 residências.

Por Heitor Carvalho

04 fev 2021 às 16:32 • Última atualização 04 fev 2021 às 16:34

Este foi o primeiro levantamento do ano do índice de Breteau, que mede a quantidade de insetos em fase de desenvolvimento - Foto: Prefeitura de Sumaré - Divulgação

A Prefeitura de Sumaré, por meio da Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde, vistoriou 6.131 residências no mês de janeiro para medir o nível de infestação de larvas do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika e chikungunya.

Este foi o primeiro levantamento do ano do índice de Breteau, que mede a quantidade de insetos em fase de desenvolvimento encontrados pela quantidade total vistoriada, o que auxilia na determinação de infestação do mosquito da dengue em uma determinada área.

Os trabalhos aconteceram nas sete regiões da cidade, servindo para nortear as ações preventivas nos locais com mais densidade larvária, e ocorrem quatro vezes no ano.

Com a realização do Breteau, é possível detectar as áreas com maior proliferação do Aedes e o tipo de criadouro predominante em cada região. Na avaliação foram encontradas larvas do Aedes aegypti em 101 domicílios vistoriados das sete regiões, o que coloca a cidade em estado de alerta.

A Vigilância Sanitária pede o apoio da população, para que permita a entrada dos agentes, já que desde o início da pandemia eles têm encontrado dificuldades em realizar a fiscalização, mesmo seguindo os protocolos (usando luvas, máscaras e álcool em gel).

No ano passado foram visitados 97.793 imóveis, desse total 39.313 (40.2%) estavam fechados ou houve recusa por parte do morador em deixar a equipe visitar a residência.

“Esse levantamento permite identificar o tipo de criadouro de acordo com os focos encontrados nas residências. A partir desse resultado, nossas equipes desenvolvem ações mais específicas. É fundamental que os moradores continuem fazendo sua parte no combate ao mosquito, evitando deixar água parada, e permitam a entrada dos agentes nas visitas casa a casa”, explicou o secretário municipal de Saúde, Rafael Virginelli.

Após a realização do índice de Breteau, o órgão atua nas áreas com mais proliferação do mosquito.

De acordo com a Fiocruz, as chuvas e a elevação da temperatura aceleram o ciclo de proliferação do Aedes aegypti.

“Intensificaremos ainda mais as ações de combate à dengue com visita casa a casa e verificação dos quintais. As equipes municipais, identificadas com crachás, realizam a aplicação de inseticida (nebulização ou “fumacê”) e também fazem busca ativa no bairro, bloqueio e controle de criadouros, além da aplicação de larvicida”, finalizou o secretário Virginelli.

O município registrou 683 casos positivos de dengue ano passado. Neste primeiro mês do ano de 2021 foram feitas 25 notificações, sendo três casos confirmados.

“Também reforçamos a importância da destinação correta de resíduos, evitando o descarte irregular de lixo, inservíveis e entulhos em terrenos baldios, áreas verdes, ruas e calçadas”, concluiu Dalben.

Pesquisa

A Avaliação de Densidade Larvária (ADL) realizada nesse mês de janeiro detectou larva do mosquito Aedes aegypti nas sete regiões do Município, o que requer atenção redobrada.

  • Mantenha a caixa d’água sempre fechada e com tampa adequada;
  • Remova folhas, galhos e tudo o que possa impedir a água de correr pelas calhas;
  • Não deixe a água da chuva acumulada sobre a laje;
  • Lave semanalmente, com escova e sabão, os tanques e recipientes utilizados para armazenar água;
  • Encha de areia até a borda os pratinhos dos vasos de plantas;
  • Troque a água e lave o vaso de plantas aquáticas com escova e sabão pelo menos uma vez por semana;
  • Guarde garrafas sempre de boca para baixo;
  • Descarte corretamente o lixo, principalmente pneus inservíveis em locais apropriados;
  • Não jogue lixo em terrenos baldios;
  • Mantenha as lixeiras fechadas.

Publicidade