08 de março de 2021 Atualizado 22:47

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

SSP

Sumaré reduz quase pela metade os roubos de carga

Cidade chegou a ter 168 ocorrências em um ano e, em 2020, foram 32 casos registrados

Por Leonardo Oliveira

27 jan 2021 às 08:13 • Última atualização 27 jan 2021 às 10:57

Localizada estrategicamente entre as rodovias Anhanguera (SP-304), Bandeirantes (SP-348) e o terminal intermodal de cargas de Campinas, a cidade de Sumaré colecionou em um passado recente um número alto de roubos de carga.

Desde o início da década passada o município é o que mais sofre na RPT (Região do Polo Têxtil) com esse tipo de crime. Os índices criminais, porém, vêm baixando a cada ano. Em 2020, foram 32 roubos de carga registrados na cidade, 46,6% a menos do que em 2019, quando 60 boletins de ocorrência foram contabilizados.

Antes disso, os índices eram ainda mais altos. Em cinco dos últimos nove anos a cidade teve, pelo menos, 100 roubos de carga. O ápice foi em 2018, quando 168 ocorrência foram relatadas à Polícia Civil.

Em entrevista ao LIBERAL, o delegado Marcelo Moreschi, responsável pelo 4° DP (Distrito Policial) e 5° DP de Sumaré, disse que foi possível baixar os indicadores graças a um trabalho integrado com a Delegacia Seccional de Americana e a delegada Marta Rocha.

A principal mudança na metodologia foi acompanhar esses casos de maneira imediata, logo quando eles chegavam para a Polícia Civil.

Quando ocorre o roubo, os agentes chamam o motorista, o dono da empresa e um responsável pela seguradora para irem, juntos, no trajeto do suposto crime para verificar câmeras de segurança que possam ajudar na identificação dos criminosos.

“Logo no início o trabalho já surtiu efeito. De 17 que tínhamos por mês, caiu para sete. Foram diminuídos os roubos e hoje saímos da posição número 1 do ranking de roubos de cargas no Estado”, disse Moreschi à reportagem.

Podcast Além da Capa
São 11 novos vereadores em Americana a partir deste ano na comparação com a legislatura que terminou em 2020. Falamos sobre o desenho que se apresenta na atuação dos parlamentares e a relação com a pandemia da Covid-19 nesse contexto.

Publicidade