16 de abril de 2024 Atualizado 17:16

8 de Agosto de 2019 Grupo Liberal Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Sumaré

Obras do Corredor Metropolitano começam ano que vem

Previsão para Sumaré é da própria EMTU, que ainda conclui trecho em Hortolândia; trajeto será mantido na Avenida Rebouças

Por André Rossi

01 de junho de 2019, às 08h43

As obras do Corredor Metropolitano Biléo Soares, em Sumaré, devem começar no ano que vem. A previsão foi dada ao prefeito da cidade, Luiz Alfredo Dalben (PPS), pelo secretário de Transportes Metropolitanos do Estado, Alexandre Baldy, durante encontro na última quinta-feira em Hortolândia. A EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos) confirmou a previsão.

O trecho denominado de Variante Sumaré – Hortolândia terá 7,6 km de extensão e prevê a ligação entre o Terminal Metropolitano de Hortolândia, que já está pronto, e o futuro Terminal Multimodal de Sumaré. O trajeto de ligação será pelas avenidas Rebouças (Sumaré) e Olívio Franceschini (Hortolândia).

“O secretário Alexandre Baldy anunciou hoje (quinta) que Sumaré vai ser uma das prioridades. Terminando o trecho de Hortolândia, o próximo que será executado é o de Sumaré e ele me disse que é provável que seja ano que vem”, disse Dalben ao LIBERAL.

Foto: Divulgação
Dalben afirmou que obras do Corredor Metropolitano chegam ao município em 2020

O ponto pelo qual o corredor seria construído em Sumaré foi justamente um dos motivos que travaram o andamento do projeto. A intenção da prefeitura é de que fosse utilizada a Avenida Júlia Vasconcelos Bufarah, e não a Rebouças. Entretanto, o projeto original deve ser mantido, segundo Luiz Dalben.

“Foi solicitado há muitos anos atrás um prospecto de um novo direcionamento para a Avenida Júlia Vasconcelos Bufarah. Na verdade já foi feita uma análise prévia, mas o custo financeiro que o estado apontou seria inviável e impraticável para as obras”, comentou Dalben.

A EMTU disse ao LIBERAL que o projeto está em análise e que a previsão é de que as obras tenham início em 2020, mas não especificou o mês. Também não foi confirmado se o trajeto será pela Avenida Rebouças. Já o trecho de 5,4 km entre Hortolândia e Campinas devem ser concluídos no segundo semestre deste ano.

“Os serviços em execução incluem finalização de cinco pontos de embarque e desembarque (Conjunto Habitacional, Panaíno, Novo Ângulo, Nova América e Perón); construção das paradas Ataliba Nogueira, Rosolém e parada 2 na avenida Lix da Cunha, em Campinas; execução de 800 m de viário; e execução de duas alças de acesso à rodovia SP-101”, informou a EMTU.

Publicidade