Golpe da falsa dívida faz mais uma vítima em Santa Bárbara

Moradora do Jardim Europa perdeu R$ 2 mil após entregar cartões de crédito a motociclista que disse que trabalhava para o banco


O golpe da falsa dívida fez mais uma vítima em Santa Bárbara d’Oeste. Depois de duas pessoas terem caído no estelionato, no mês passado, agora foi a vez de uma aposentada de 67 anos ter perdido R$ 1.999 após uma ligação recebida nesta quinta-feira.

Foto: Arquivo / O Liberal
Caso foi registrado no Plantão Policial de Santa Bárbara

Um suposto atendente de uma loja procurou a vítima por telefone questionando uma dívida existente no valor de R$ 2 mil. Ao negar a compra, a idosa ouve que alguém poderia ter clonado seu cartão e que a ligação seria transferida para a central de segurança de seu banco.

No contato, um homem se identifica como Gustavo e afirma que será feito o bloqueio dos cartões, mas pede que a aposentada o leve até a sede da Polícia Civil em São Paulo para uma perícia das autoridades.

Diante da impossibilidade do deslocamento, o atendente diz que enviaria um representante do banco na casa da idosa, na Rua Noruega, no Jardim Europa. Ela entrega dois cartões de crédito que possui ao homem, que diz se chamar Tiago – o mesmo nome foi utilizado em outros dois golpes realizados no município, no dia 21 de maio. Em ambos, ele utiliza uma moto para se locomover, assim como na ocorrência desta quinta.

Na ocasião, dois barbarenses caíram no estelionato e perderam R$25 mil. Nesta quinta-feira, o prejuízo para o aposentado foi de R$ 1.999 – ele recebeu uma mensagem de texto informando a compra realizada em um estabelecimento comercial de Santa Bárbara.

Depois disso, a vítima procurou o banco para cancelamento dos cartões. O caso deve ser investigado pela Polícia Civil.

OUTROS CASOS 

Uma professora de 47 anos e um aposentado de 71 caíram no mesmo golpe no dia 21 de maio, em Santa Bárbara. Eles foram questionados sobre compras que não realizaram e entregaram seus cartões a um estranho acreditando se tratar de um procedimento do banco.

Cerca de R$ 20 mil em compras foram realizadas com o dinheiro proveniente da conta da mulher, enquanto para o idoso o prejuízo foi de R$ 3.980. No mesmo dia, uma outra professora ainda recebeu o mesmo telefonema, mas se recusou a dar o cartão ao suspeito. Os casos foram registrados no plantão policial do município.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora