15 de junho de 2024 Atualizado 17:54

Notícias em Americana e região

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Santa Bárbara

Com dois infectados, funcionários do setor de ambulâncias reclamam da falta de suporte

Prefeitura de Santa Bárbara afirmou que existe um Fluxograma de Atendimento desde o início da pandemia, respeitando as medidas de segurança e uso de EPIs

Por Marina Zanaki

23 de junho de 2020, às 08h57

Dois motoristas de ambulâncias de Santa Bárbara d’Oeste testaram positivo para o novo coronavírus (Covid-19) e estão em isolamento domiciliar. Outros dois servidores que trabalham na mesma função estão afastados com suspeita da doença.

Três profissionais que pediram para não serem identificados reclamaram de falta de suporte para a categoria na cidade. Além disso, eles cobram a realização de testes rápidos em todos os profissionais. Existem entre 30 e 40 servidores nessa função.

Ambulâncias: dois motoristas com Covid-19 – Foto: Marcelo Rocha / O Liberal

Os servidores alegam que, como dois colegas foram diagnosticados, é necessário identificar possíveis assintomáticos para evitar transmissão – inclusive para pacientes que transportam.

Os motoristas disseram que, na falta de equipe específica, eles mesmos fazem desinfecção interna das ambulâncias após o transporte dos pacientes. Segundo eles, não há qualquer cobrança ou orientação nesse sentido.

A prefeitura disse que há dois funcionários da Saúde afastados com coronavírus, mas não confirmou que ambos são motoristas de ambulância.

Em relação aos problemas apontados, a Secretaria de Saúde disse que há um Fluxograma de Atendimento desde o início da pandemia, respeitando as medidas de segurança e uso de EPIs (Equipamentos de Proteção Individual).

O município ainda ressaltou que realizou uma série de capacitações e que os exames são realizados entre aqueles com indicação clínica.

Podcast Além da Capa
O mais festejado dos cinco títulos mundiais da seleção brasileira? A resposta é subjetiva, mas a conquista da Copa do Mundo de 1970, no México, completa 50 anos sem ter ameaçado seu lugar no Olimpo do futebol. O ambiente de Americana naqueles dias de junho pauta essa edição do Além da Capa. O editor Bruno Moreira conversa com o repórter Rodrigo Alonso, além de contar com a contribuição de convidados.

Publicidade