28 de novembro de 2020 Atualizado 21:44

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Demissões

Sindicato critica demissões de bancários na região

Segundo balanço do sindicato, o banco demitiu 30 trabalhadores na região de Campinas esta semana

Por Marina Zanaki

16 out 2020 às 08:38

O Sindicato dos Bancários de Campinas e Região criticou os desligamentos de funcionários em plena pandemia. Nos últimos dois meses, foram demitidos cerca de 20 bancários na subsede de Americana (que inclui Nova Odessa, Hortolândia e Sumaré) e na cidade de Santa Bárbara d’Oeste.

As demissões ocorreram nos bancos Itaú (cinco demissões nos últimos 30 dias), Santander (7 demissões nos últimos dois meses) e recentemente têm ocorrido no Bradesco.

Segundo balanço do sindicato, o banco demitiu 30 trabalhadores na região de Campinas esta semana, cinco delas na subsede de Americana. Antes disso, outras cinco demissões haviam sido registradas na subsede, que conta com cerca de 1,2 mil funcionários.

Daniel Ortiz, diretor regional da subsede de Americana e funcionário do Bradesco, explicou que a justificativa dada pelas instituições é que a pandemia forçou digitalizações, e que isso possibilitou reestruturações que estavam previstas para ocorrerem em uma década.

“Seria inocente acha que esse processo uma hora não ia chegar, mas o que a gente cobra é o banco usar esse momento. Vemos propagandas de compromisso social de ajudar o país a passar por essa fase difícil, e no meio da pandemia começa processo de desligamento de funcionários. Os bancos não pararam e inúmeros casos de bancários que pegaram Covid, em resposta aos que arriscaram a vida demitem no meio da pandemia”, criticou.

O sindicato contabiliza 31 casos positivos de coronavírus entre bancários das cinco cidades da região.

Os três bancos foram procurados, mas apenas o Itaú se posicionou. A instituição disse que retomou em setembro processos como contratações e demissões, e que elas fazem parte da retomada da rotina normal do banco.

Em relação aos casos positivos de coronavírus, o Itaú e o Bradesco afirmam que estão adotando as medidas sanitárias para evitar a disseminação nas agências.

Publicidade