07 de março de 2021 Atualizado 20:39

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Estelionato

Mulher é usada como ‘laranja’ em abertura de empresas e perde R$ 71 mil

Vítima entrou em uma sociedade de um lava jato de Americana com um casal, que teria usado dados pessoais dela para abrir outras cinco empresas

Por Paula Nacasaki

15 jan 2021 às 10:13

Uma técnica em laboratório, de 57 anos, moradora de Santa Bárbara d’Oeste perdeu um valor aproximado de R$ 71 mil após ser usada como “laranja” em aberturas de empresas. O caso ocorreu em agosto do ano passado, mas só foi comunicado à Polícia Civil nesta quinta-feira (14).

De acordo com relatos da vítima no boletim de ocorrência, em agosto do ano passado ela conheceu um casal, uma comerciante de 53 e um contador de 60 anos, que era dono de um lava jato na Avenida Campos Sales, em Americana.

O casal convidou a mulher para ser sócia do estabelecimento, o que foi aceito. Para a negociação, ela investiu o valor de R$ 21 mil no comércio.

O casal ficava responsável pela parte administrativa do comércio. Os funcionários reclamavam do atraso do salário e, por este motivo, a mulher foi averiguar o financeiro e teve acesso ao caixa da empresa, em novembro.

Nesse momento, ela percebeu que não havia dinheiro em caixa. Além disso, com os seus dados pessoais, presente nos contratos de sociedade, o casal tinha aberto mais cinco lojas, uma em Santa Bárbara, uma em Campinas e outras três na cidade de Americana.

Ela também descobriu que o casal tinha usado o dinheiro para causas particulares: tinham emitido diversos cheques e feito empréstimos com agiotas.

Para conseguir pagar os funcionários e agiotas, a técnica precisou fazer um empréstimo de R$ 50 mil e se mudou para fugir do excesso de cobranças.

Depois do ocorrido teve sua saúde afetada e toma remédio controlado.

No boletim de ocorrência, a mulher relatou também que ficou sabendo posteriormente que ela tinha sido usada pelos estelionatários para dar “credibilidade” ao golpe, porém não há detalhes sobre este fato no documento policial.

A reportagem tentou falar com a vítima, mas o número disponível não completa a chamada. Também não foi possível contato com o lava jato.

O caso foi registrado no plantão policial de Santa Bárbara como estelionato e será investigado pela Polícia Civil.

Publicidade