Incêndios na SP-304 prejudicam motoristas

Dois trechos de mata na Rodovia Luiz de Queiroz pegaram fogo neste domingo, o que atrapalhou a visibilidade dos motoristas


Neste domingo (18) o Corpo de Bombeiros atendeu várias ocorrências de incêndios em matas, área de terrenos abandonados, inclusive em margens da Rodovia Luiz de Queiroz (SP-304), entre Americana e Santa Bárbara d’Oeste, prejudicando a visibilidade dos motoristas. Até a publicação desta reportagem, o combate às chamas já tinha consumido 30 mil litros de água somente neste domingo.

Foto: Sabrina Furlan / O Liberal
Um dos focos de incêndio foi entre os km 122 e 123

Por volta das 13h30 aconteceu o primeiro incêndio na SP-304, na mata que fica localizada entre os km 122 e 123, sentido Americana – Santa Bárbara d’Oeste, próximo ao trevo de acesso a Fazenda do Estado. O fogo alto às margens da rodovia afetou o trânsito sentido interior, devido a fumaça intensa que atrapalhou a visibilidade.

O Corpo de Bombeiros de Americana esteve no local por volta das 14h para apagar as chamas. A reportagem do LIBERAL esteve no local por volta das 15h e ainda havia muita fumaça e pequenos focos de incêndios, que aumentavam devido ao vento. A corporação não soube precisar a quantidade de litros de águas para combater o incêndio, apenas enfatizou que como tive outras ocorrências, como no Jardim Boer e na Avenida Orlando Dei Santi, os bombeiros acreditam que utilizaram mais de 30 mil litros de águas nos caminhões.

Foto: Sabrina Furlan / O Liberal
Fogo na rodovia prejudicou a visibilidade dos motoristas

Por volta das 15 horas, também na SP-304, entre os km 135 e 136, no sentido Santa Bárbara – Americana, um incêndio de grandes proporções no mato seco que fica próximo ao trevo de acesso ao bairro Vista Alegre também prejudicou a visibilidade dos motoristas, ocasionando em um trânsito mais lento.

De acordo com o Corpo de Bombeiros de Santa Bárbara, os militares foram chamados depois de atenderem outra ocorrência no Distrito Industrial da cidade, perto de uma região que havia animais e casas de madeiras, onde o fogo poderia ser ainda mais prejudicial.

“Tivemos que utilizar quase cinco mil litros de água para combater as chamas no primeiro incêndio e mais três mil neste fogo aqui na SP-304 Somente neste domingo já usamos 30 mil litros de água para combater esses fogos, que são muito comuns nesta época do ano devido o mato ficar mais seco e os ventos fortes, o que piora a situação”, explicou o sargento.

Segundo informações das duas corporações, existem várias situações e fatores que aumentam os focos de incêndios nesta época do ano. Alguns são atos de vandalismo, pessoas que jogam bituca de cigarro ou lixo tóxico que com o calor, o mato seco e o vento propagam rapidamente as chamas. “Isso é crime ambiental e precisava ter mais conscientização de todos”, enfatizou a corporação de Americana.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora