22 de Maio de 2020 Atualizado 22:37

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Receptação

Homem é preso em Paulínia com caminhão roubado e placas adulteradas

O caso aconteceu no interior do pátio de um posto de combustíveis na Rodovia Professor Zeferino Vaz (SP-332); caminhão foi roubado em Fernandópolis

Por Isabella Holouka

01 abr 2020 às 11:53 • Última atualização 01 abr 2020 às 16:49

Um homem foi preso em flagrante na madrugada desta quarta-feira (1º), em Paulínia, após policiais militares constatarem a receptação qualificada e adulteração da placa de um caminhão em que ele estava. O caso aconteceu no interior do pátio de um posto de combustíveis na Rodovia Professor Zeferino Vaz (SP-332), popularmente conhecida como “Tapetão”.

Clique aqui e se inscreva no nosso canal do Telegram e receba as notícias no seu celular!

Os policiais faziam o patrulhamento ostensivo rodoviário quando viram o veículo, um caminhão do tipo “cavalo mecânico”. No interior do caminhão, o homem demonstrou nervosismo, motivando a abordagem.

Foto: Polícia Militar Rodoviária / Divulgação
O caso aconteceu no interior do pátio de um posto de combustíveis na Rodovia Professor Zeferino Vaz

Não foram encontrados objetos ilícitos com ele, mas, conversando com os policiais, dava versões desconexas e suspeitas sobre sua própria situação.

Saiba tudo sobre o coronavírus, o que ele provoca e como se prevenir

Ao verificarem as placas do veículo, os policiais constataram indícios de adulteração. Ao checarem o chassi, constataram que o caminhão havia sido roubado no dia 23 de março na cidade de Fernandópolis, no noroeste do Estado de São Paulo. Também tiveram certeza sobre a adulteração do emplacamento.

O homem então foi preso em flagrante, conduzido ao distrito policial de Paulínia, ficando à disposição da Justiça. Com relação ao caminhão, deve ser devolvido ao proprietário, segundo apontou a PMR (Polícia Militar Rodoviária).

Além da Capa, o podcast do LIBERAL

Em meio à pandemia do novo coronavírus (Covid-19) e à quarentena vigente no estado de São Paulo, como ficam os direitos de consumidores em relação ao cumprimento de contratos de prestação de serviço? Em relação a festas ou à frequência na academia e na escola, por exemplo? O episódio do Além da Capa desta quarta-feira trata dessas questões.

{{1}}