Escola de Campinas é uma das que receberão modelo cívico-militar

Apesar de aparecer na lista, a inclusão da escola campineira no programa ainda depende da consulta pública com a comunidade escolar


A escola municipal Professora Odila Maia Rocha Brito, de Campinas, está na lista de 54 instituições de ensino que irão implementar o projeto-piloto das escolas cívico-militares em 2020. A lista foi divulgada na noite desta quarta-feira (26) pelo MEC (Ministério da Educação).

A unidade é a única do Estado de São Paulo que aparece na lista, que inclui escolas em 22 estados e pelo Distrito Federal. O modelo cívico-militar será implementado em parceria com o Ministério da Defesa, que irá destacar militares da reserva das Forças Armadas para atuar na gestão educacional das escolas.

Receba as notícias do LIBERAL pelo WhatsApp. Envie uma mensagem para ser adicionado na lista de transmissão!

Neste ano, o MEC destinará R$ 54 milhões para levar o programa para as 54 escolas, sendo R$ 1 milhão por instituição de ensino.

Apesar de aparecer na lista, a inclusão da escola campineira no programa ainda depende da consulta pública da comunidade escolar. Segundo o MEC, a Secretaria de Educação de Campinas teria indicado a Escola Municipal Professora Odila Maia Rocha Brito para participar do projeto.

“Assim, a vaga do município de Campinas, caso não atenda ao critério de envio da consulta pública no prazo acordado, passará para o segundo colocado no Estado de São Paulo, o município de Sorocaba”, informou o Ministério da Educação.

A votação para decidir se alunos, pais e professores queriam que o colégio tenha militares na gestão escolar tinha sido marcada para o dia 18 de dezembro, quando a unidade já estava em período de férias escolares. Por esse motivo, o Centro Acadêmico XI de Agosto, dos estudantes de Direito da USP, ingressou com um mandato de segurança pedindo para que a votação fosse adiada e remarcada para a volta às aulas.

Promessa de campanha do presidente Jair Bolsonaro, o programa selecionou 54 escolas em todo o País para receber o modelo. A portaria do programa colocava como critério de adesão a aprovação da comunidade escolar por meio de consulta pública – o que não foi feito no colégio de Campinas.

Perfil da escola

Com cerca de 800 alunos, a Emef Odila Brito fica na região do Campo Belo, uma área de baixo índice socioeconômico em Campinas e marcada por várias ocupações. A escola oferta os anos iniciais do fundamental (do 1º ao 5º ano), onde tem nota de 5,5 no Ideb (abaixo da média do Estado, de 6,5), e os anos finais, com nota de 4,7 (a média paulista é de 4,9). A unidade tem também turmas da Educação de Jovens e Adultos (EJA) no período noturno.

* Com informações da Agência Estado.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora