23 de abril de 2024 Atualizado 17:35

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Cidades

Motorista de aplicativo é detido após se passar por policial e ameaçar moradora de Hortolândia

Suspeito estava com uma réplica de arma e um distintivo; vítima desconfiou, conseguiu fugir e acionou a GCM

Por Paula Nacasaki

28 de março de 2024, às 15h03

Um motorista de aplicativo foi detido pela GCM (Guarda Civil Municipal) nesta quarta-feira (27), após ter se passado por policial usando um distintivo e uma arma de plástico para ameaçar uma mulher, na noite de terça-feira (26), em Hortolândia.

Réplica de arma e distintivo foram apreendidos – Foto: Divulgação_GCM

Vítima relatou à Guarda de Hortolândia que estava com seus cachorros na Avenida da Emancipação e que, por volta de 22h, colocou os animais em seu carro para sair, momento em que o suspeito passou por ela em um Fiat Mobi e parou o veículo em frente ao seu, na diagonal, fechando uma das vias, e desceu com a arma em punho apontando em sua direção.

Assustada, ela contou que arrancou com o veículo, mas que foi perseguida pelo motorista, que emparelhou o carro, fez novas ameaças e mostrou o distintivo, alegando ser policial e que ela estava desrespeitando sua ordem. Nesse momento, a vítima contou que questionou a abordagem feita pelo falso policial, que desistiu de ir atrás dela e foi embora.

Após o incidente, ela procurou a GCM e passou as informações do ocorrido e, por meio do sistema de câmeras na avenida, foi possível identificar o emplacamento do veículo e encontrar o suspeito nesta quarta-feira, próximo ao Hospital Mário Covas.

Durante a abordagem, os patrulheiros constaram se tratar de um motorista de aplicativo que estava, naquele momento, transportando clientes. Durante a ação, eles também notaram que o suspeito estava com um distintivo de investigador preso em uma corrente no seu pescoço e, ao vistoriarem o veículo, encontraram uma réplica de arma no porta-luvas.

Ele foi levado ao plantão policial, onde foi reconhecido pela vítima, prestou depoimento e foi liberado em seguida, podendo responder pela acusação em liberdade. A arma, assim como distintivo, foram apreendidos e o caso será investigado pela Polícia Civil.

Publicidade